ERRO EVOLUTIVO CRASSO (ERROLOGIA)



ERRO   EVOLUTIVO   CRASSO
(ERROLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O  erro evolutivo crasso  é aquele equívoco tosco, engano rudimentar ou
omissão deficitária grosseira, indiscutível e consensual, facilmente perceptível mesmo pelas cons-
cins pré-serenonas vulgares, no entanto, cometido por personalidade eminente ou histórica.
Tematologia. Tema central nosográfico.
Etimologia. O termo erro vem do idioma Latim, error, “desvio; erro; falta”. Surgiu no
Século XIII. O vocábulo  evolutivo procede do idioma Francês,  evolutif, de  évolution,  e este do
idioma Latim, evolutio, “ação de percorrer, de desenrolar”. Apareceu em 1873. A palavra crasso
deriva do idioma Latim, crassus, “espesso; grosseiro; gordo”. Surgiu no Século XVII.
Sinonimologia:  01.  Erro evolutivo indefensável. 02.  Erro evolutivo indiscutível. 
03.  Erro evolutivo radical. 04.  Erro antievolutivo grosseiro. 05.  Erro da maturidade. 06.  Erro
ignóbil; erro indigno. 07.  Omissão deficitária rudimentar. 08.  Engano histórico sem atenuantes;
estigma autobiográfico. 09.  Autassedialidade indefensável. 10.  Despriorização grosseira.
Neologia. As 3 expressões compostas erro evolutivo crasso, erro evolutivo crasso pes-
soal e erro evolutivo crasso coletivo são neologismos técnicos da Errologia.
Antonimologia:  1.  Acerto evolutivo indiscutível. 2.  Acerto evolutivo consensual. 
3.  Ação evolutiva óbvia. 4.  Erro digno. 5.  Desacerto infantil.
Estrangeirismologia: o  error in qualitate; o blackout da razão; a força de pressão do
Zeitgeist; a repetição ad nauseam da mesma cadeia de erros; a melex como mea culpa extrafísica.
Atributologia: predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à Discernimentologia.


II.  Fatuística

Pensenologia: o holopensene pessoal da Autopriorologia; os patopensenes; a patopense-
nidade.

Fatologia: o erro evolutivo crasso; o abandono da prole; o homicídio; o suicídio lento ou
imediato; o genocídio; a alienação social; a antiassistencialidade; a Agrafologia; a Bibliofobia; 
a destruição de livros; o memoriocídio; a egolatria; o xenofobismo; o escravagismo; a espiona-
gem; a liderança de guerras; a Heurística Terrorista (bombas atômicas, superarmas de guerra); 
a interassedialidade; a automartirização (cavar a autovitimização); as autoestigmatizações; as in-
terprisões grupocármicas seculares; os erros das sacralizações; a participação em rituais com sa-
crifícios humanos ou animais; a pedofilia; a patogênese regressiva; as induções aos erros; as indu-
ções aos enganos; as induções às omissões deficitárias; a pertinácia nos equívocos; a força do
atraso; a erronia habitual; a defesa da erronia; a Antiprofilaxia; o Índice Internacional de Corrup-
ção; a incoerência na maturidade; a pressão da Mesologia; as contradições; as incongruências; as
irracionalidades; as autocomplacências; os teoterrorismos; as megassandices regressivas.

Parafatologia: a ausência da vivência do estado vibracional (EV) profilático; o antipara-
psiquismo; a ausência da parabússola consciencial das priorizações; a correção do erro evolutivo
crasso por meio da interassistencialidade secular multiexistencial; a saída das interprisões grupo-
cármicas pela holocarmalidade.

III.  Detalhismo

Principiologia: o princípio de causa e efeito. 
Enciclopédia  da  Conscienciologia



8
Enumerologia: os erros de abordagem; os erros hermenêuticos; os erros de subestima-
ção; os erros de avaliação; os erros contumazes; os erros judiciários; os erros sectários.
Laboratoriologia: o laboratório conscienciológico das retrocognições.
Binomiologia: o binômio autorreflexão-acerto.
Crescendologia: o crescendo patológico minifracasso-megafracasso; o crescendo erro-
-correção.
Trinomiologia: o  trinômio autassédio-autocorrupção-acriticismo; o trinômio erro–en-
gano–omissão deficitária; o trinômio (aliteração) falta-falha-falência.
Antagonismologia: o antagonismo exatidão / erro.
Politicologia: as políticas rasteiras dos poderes temporais efêmeros.
Fobiologia: a xenofobia.
Sindromologia: a síndrome da ectopia afetiva (SEA).
Maniologia: as megalomanias multiformes.
Mitologia: os mitos místicos milenares (aliteração); o mito da onipotência universal.
Holotecologia: a absurdoteca.
Interdisciplinologia:  a Errologia; a Evoluciologia; a Antidiscernimentologia Pessoal; 
a Desviologia; a Parapatologia; a Antipriorologia; a Anticosmoética; a Autassediologia; a Autor-
regressiologia; a Megatrafarologia; a Gerontologia; a Etologia Heurística.

IV.  Perfilologia

Elencologia:  a consciênçula; a consréu ressomada;  a conscin baratrosférica; a conscin
eletronótica; a isca humana inconsciente.

Masculinologia: o compassageiro evolutivo; o antepassado de si mesmo; o minidissi-
dente ideológico; o pré-serenão vulgar. 

Femininologia: a compassageira evolutiva; a antepassada de si mesma; a minidissidente
ideológica; a pré-serenona vulgar. 

Hominologia: o Homo sapiens acriticus; o Homo sapiens anticosmoethicus; o Homo sa-
piens anxious; o Homo sapiens pathopensenicus; o Homo sapiens autobsessus; o Homo sapiens
ilogicus; o Homo sapiens inattentus.

V.  Argumentologia

Exemplologia:  erro evolutivo crasso  pessoal  = a do pensador ágrafo; erro evolutivo
crasso coletivo = a do líder teoterrorista.

Agrafologia. Do ponto de vista da Para-História, eis, por exemplo, na ordem cronológi-
ca, 3 exemplos do mesmo erro evolutivo crasso, ou seja, nada deixar registrado, por escrito, das
autexperiências, fornecendo o mau exemplo da vivência de existências humanas ágrafas, com
apedeutismo comunicativo, em geral influenciados pelo esoterismo, cometidos por personalidades
largamente cultuadas, através de milênios, da História da Humanidade, nomes inscritos nos anais
da Civilizaciologia:
1.  Pitágoras (571–497 a.e.c.).
2.  Sócrates (469–399 a.e.c.).
3.  Jesus Cristo (4 a.e.c–29 e.c.).

VI.  Acabativa

Remissiologia. Pelos critérios da Mentalsomática, eis, por exemplo, na ordem alfabéti-
ca, 10 verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia, e respectivas especialidades e temas cen-
Enciclopédia  da  Conscienciologia

9

trais, evidenciando relação estreita com o erro evolutivo crasso, indicados para a expansão das
abordagens detalhistas, mais exaustivas, dos pesquisadores, mulheres e homens interessados:
01.  Absurdo  cosmoético:  Recexologia;  Nosográfico.
02.  Antepassado  de  si  mesmo:  Seriexologia;  Nosográfico.
03.  Conscin  displicente:  Autoconscienciometria;  Nosográfico.
04.  Erro  crônico:  Errologia;  Nosográfico.
05.  Erro  digno:  Errologia;  Nosográfico.
06.  Estigma  autobiográfico:  Psicossomática;  Nosográfico.
07.  Incompletude:  Holomaturologia;  Neutro.
08.  Inspiração  baratrosférica:  Parapatologia;  Nosográfico.
09.  Pseudoerro:  Parapercepciologia;  Neutro.
10.  Tríade  da  erronia:  Parapatologia;  Nosográfico.

NINGUÉM  PERDE  POR  FAZER  O  BALANÇO  DE  TODOS 
OS  ATOS  DA  PRÓPRIA  VIDA  HUMANA  ATÉ  O  MOMENTO,
OBSERVANDO  SE  ESTÁ  DEIXANDO  ALGUM  ERRO  ÓBVIO,
PORÉM  NÃO  ENTREVISTO  NEM  ACERTADO  ATÉ  HOJE.

Questionologia. Você, leitor ou leitora, vai cometer o mesmo erro de grandes vultos do
passado e dessomar sem escrever a própria obra-prima? Quais providências você vem tomando
para evitar tal equívoco?