Aprenda Latim

Dicionário Jurídico de Latim 
A
A contrario sensu
Em sentido contrário. Argumento de interpretação que considera válido ou permitido o contrário do que tiver sido proibido ou limitado.
A digito cognoscitur leo
Pelo dedo se conhece o leão.
A facto ad jus non datur consequentia
Não se dá conseqüência do fato para o direito.
A fortiori
Por mais forte razão, por maior razão. Quando um dispositivo legal, por razões que se acrescem as nele previstas, deve ser aplicado extensivamente.
A inclusione unius ad exclusionem alterius

A arte da conversa

A ARTE DE CONVERSAR
Técnicas para argumentar e convencer
Luiz Carlos Martins


Com o passar do tempo, entretanto, o homem foi descobrindo que o ato de
conversar servia não só para transferir conhecimentos ou trocaridéias; descobriu
que essa habilidade também servia para influenciar, mudar comportamentos,
opiniões, crenças e, conseqüentemente, ganhar poder. E por isso a transformou
em “arte”, que alcançou seu esplendor nos tempos áureos do helenismo.
Hoje, a “Arte de Conversar” ganhou contornos científicos. Com o desenvolvimento
da Psicologia Social e Ciência da Comunicação, já é possível estabelecer-se um
conjunto de regras práticas que podem tornar o que seria uma simples conversa,
num diálogo proveitoso, seja ele de caráter comercial, político ou social.
São exatamente essas técnicas – ou pelo menos uma boa parte delas – que
vamos ver neste livro.
Espero que você faça bom proveito delas.
O Autor

código de defesa do consumidor


TÍTULO I
Dos Direitos do Consumidor
CAPÍTULO I
Disposições Gerais
Art. 1°O presente Código estabelece normas de proteção e defesa do consumidor, de ordem
pública e interesse social, nos termos dos arts. 5°, inciso XXXII, 170, inciso V, da Constituição Federal
e art. 48 de suas Disposições Transitórias.
Art. 2°Consumidor é toda pessoa física ou jurídica que adquire ou utiliza produto ou serviço como
destinatário final.
Parágrafo único. Equipara-se a consumidor a coletividade de pessoas, ainda que indetermináveis,
que haja intervindo nas relações de consumo.
Art. 3°Fornecedor é toda pessoa física ou jurídica, pública ou privada, nacional ou estrangeira,
bem como os entes despersonalizados, que desenvolvem atividade de produção, montagem, criação,
construção, transformação, importação, exportação, distribuição ou comercialização de produtos ou
prestação de serviços.
§ 1° Produto é qualquer bem, móvel ou imóvel, material ou imaterial.
§ 2° Serviço é qualquer atividade fornecida no mercado de consumo, mediante remuneração, in-clusive as de natureza bancária, financeira, de crédito e securitária, salvo as decorrentes das relações
de caráter trabalhista.

Bios,Setup,Cmos, Post e Mensagens de erro


A cura da Miopia pelo método Bates


ÍNDICE
Pág.
Boletim do Dia  ...................................................................................7
Prefácio da segunda edição argentina ...................................................11
Prefácio ..............................................................................................13
Introdução  ..........................................................................................17
A origem da Ginástica Ocular  ..............................................................22
O que é a «Ginástica Ocular»?  .............................................................24
Divulgação da Ginástica Ocular  ...........................................................29
Causas de uma visão defeituosa ............................................................31
Existem óculos realmente adequados?  .................................................41
Os óculos são prejudiciais  ....................................................................43
Cristais de cores  ..................................................................................47
O olhar central  ...................................................................................50
A miopia  ............................................................................................53
A miopia nas crianças  .........................................................................56
O presbitismo  .....................................................................................62
O astigmatismo ...................................................................................65
O estrabismo .......................................................................................66
O descanso ..........................................................................................73
Quatro movimentos oculares com ou sem ponto .................................76
Alguns exercícios  ................................................................................81
A massagem ocular  .............................................................................88
Quatro movimentos do pescoço ..........................................................92
O Ziguezague  ......................................................................................95
Exercício com ponto em três direcções  ...............................................97
9
Pág.
Exercício com a ponta do lápis  ........................................................... 100
A espiral ............................................................................................. 103

Receitas feitas no Liquidificador


Como motivar os filhos escovarem os dentes

1. Deixe seu filho brincar de escovar os dentes com uma escova velha (que ele já tenha usado), que é mais macia, até ele se acostumar. Depois, escove com a nova.

2. Faça da escovação uma atividade em família, pois crianças gostam de imitar os adultos.

3. Reforce o hábito. Assim que ele terminar de comer, encaminhe-o para a pia do banheiro.

4. Use pastas de dente sem flúor e com sabor agradável e escovas coloridas, com o personagem preferido do seu filho.

5. Quando ele terminar, parabenize-o dizendo que o cheiro da boca dele está gostoso, que os bichinhos foram embora etc. Brincadeiras como “ei, dê um sorriso de artista!”, para você escovar os dentes da frente, também funcionam.