Mostrando postagens com marcador Tenepes. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Tenepes. Mostrar todas as postagens

Livro Manual da Tenepes

 

Tem consequências Desistir da Tenepes? - Conscienciologia


Os 6 primeiros meses da Tenepes - Conscienciologia


O que é tenepes?


A tenepes é a tarefa energética pessoal, diária, multidimensional,
de ajuda energética aos outros, com assistência permanente de amparadores,
a longo prazo ou para o restante da vida humana do praticante.
Em geral, surge após a tarefa do esclarecimento já vivenciada.
A tenepes é uma técnica eficaz para manter o ser humano
ligado à sua procedência consciencial, evolutiva, extrafísica, além
da troposfera terrestre, sem sujeições anacrônicas e indesejáveis às
doutrinas dogmáticas, lavadoras ou encolhedoras de cérebros, de
todos os tipos e naturezas.
As raízes assistenciais da tenepes são extrafísicas ou multidimensionais,
assentadas no amparador do praticante e no amparador
do assistido ou assistidos.
A vivência gradual ou conjunta dessas 3 tarefas assistenciais
– tacon, tares e tenepes – conduz a consciência a considerar como
factível, à vista, possível para si, a meta da desperticidade

Quando surgiu a Tenepes? - Waldo Vieira

Técnica da Tenepes


Técnica da Tenepes


TENEPES - técnica energética pessoal ou a transmissão energética da conscin, homem ou mulher, comandada por uma consciex amparadora, no estado de vigília física ordinária, diretamente para consciexes, ou conscins projetadas, intangíveis e invisíveis à visão humana comum.

Nas práticas diárias da tenepes, você, na condição de sensitivo(a), sozinho(a), se acomoda em um leito, de preferência no escuro, relaxa, medita e dá passividade mental e muscular ao amparador(a) extrafísico. Sobrevêm a incorporação ou semi-incorporação para a transmissão das energias conscienciais assistenciais com você sentado ou de pé (ereto).

A assistência extrafísica anônima através das práticas da tenepes, dentro do horário da angústica humana, em um período breve compreendido entre 18 e 22 horas, deve ser diária, sem excluir os fins de semana que trazem a neurose de domingo à pessoa carente, fora da rotina diária, obrigada a se defrontar com a chatice e o vazio da sua vida.

Vale frisar que o horário das 18 horas é o mais freqüente, em todo o mundo, para os seres intrafísicos dessomarem, segundo as estatísticas existentes.

Depois da atuação incontroversa de outra inteligência sobre os seus veículos de manifestação - corpo humano, holochacra e psicossoma - podem ocorrer, pelo menos, estas 8 ocorrências:

01. Projeção consciente.
02. Vidências diversas.
03. Monólogo psicofônico.
04. Mudanças das posições físicas do soma.
05. Entorpecimento dos lábios e do rosto.
06. Sensação de ar frio, mais nas mãos.
07. Pulsações energéticas cerebrais.
08. Sensação de desmaterialização dos dedos e até das mãos.

Não raro as exteriorizações de energia podem dar a impressão de que o seu corpo humano torna-se enorme chama, língua de fogo de uns 3 metros de altura, quentíssima na periferia e de núcleo gelado, a crepitar para a frente e para cima, e a reverberar como se fosse um foco de luz, expandindo e contraindo em movimentos para fora e para dentro, alternadamente, sob força poderosa, inteligente e controlada.

Os sons das vibrações passam por sua cabeça e parecem sair através dos seus braços e mãos quais tambores batidos com inteligência ou a repetição cadenciada de mantra, palavra única não pronunciada mas escutada repetidamente, com aceleração menor ou maior.

Os movimentos sincrônicos, frenéticos, espasmódicos e aspersivos com os braços e as mãos durante a semipossessão benigna, visam à assistência a conscins e consciexes, através de 3 operações distintas, quase sempre interligadas:

01. Exteriorização
- exteriorização de energias imanentes-conscienciais.

02. Desmaterialização
- desmaterialização fugaz de partes do corpo humano do animista-sensitivo(a).

03. Ectoplasmia
- extração de seu ectoplasma, humano, exclusivamente para fins terapêuticos.

- Aspersores - os parabraços e as paramãos do psicossoma do(a) praticante, são verdadeiros aspersores energéticos, sob o comando real do(a) amparador(a), o transmissor energético básico.
- Ambiente - a temperatura ambiental abaixo de 20 graus Celsius ou centígrados facilita a prática ou intensifica as exteriorizações de energias assistenciais.

Para manter a sintonia, o equilíbrio e intensificar as operações durante o estado vibracional, nas grandes exteriorizações de energias, o amparador(a) instila a intuição que leva o animista-sensitivo(a), quando mais consciente, a refletir, inevitavelmente, em conceitos, à primeira vista díspares, porém relacionados por liames lógicos indiscutíveis, entre si, e o serviço a 3, semelhantes a estes: criador incriado, autogestão; Fênix; eternidade; infinito do passado; infinito do futuro; onipotência; implosão; enézima potência; moto-contínuo; buraco-negro; saco sem fundo.

As irradiações energéticas do início dos exercícios chegam a demorar até um hora. Com o passar do tempo vem o desenvolvimento diário e podem ser feitas 11 descargas em apenas 25 a 45 minutos de uma sessão individual da conscin.

Cada série de descargas energéticas correspondem a 50 contrações-transmissões no mínimo. Isso perfaz o total de 550 a 750 transmissões ao fim de cada período diário.

Em um estágio mais avançado, os amparadores transformam a base física do projetor ou projetora num ambulatório médico extrafísico, ou seja, em uma oficina de trabalho multidimensional ou ofiex, de socorro aos necessitados, desvalidos ou despossuídos intrafísicos e extrafísicos.

É sobejamente conhecido, em qualquer empreendimento humano, que a energia positiva, grupal, coletiva, ou seja, nascida de um grupo homogêneo e coeso de indivíduos, que apresentam senso de união e afinidade marcante quando reunidos, manifesta-se mais forte, intensa, vigorosa e curativa, beneficiando a maior número de consciências assistidas do que a energia individual, isolada ou derivada de uma consciência apenas.


Extraído do Tratado "Projeciologia", 1999 por Waldo Vieira.

Observações práticas sobre a prática da tenepes

Observações práticas sobre a prática da tenepes

01. Advertência. A técnica da tenepes não é recomendável a quem nunca sentiu manifestações parapsíquicas marcantes, ostensivas ou aos principiantes quanto à parapercepciologia, ainda não desenvolvidos parapsiquicamente, e que não conseguem controlar suficientemente os processos do intercâmbio interconsciencial multidimensional.

02. Parapsiquismo. Somente deve exercer as exteriorizações diárias de energias, com horário marcado, o(a) sensitivo(a) mais ou menos desenvolvido, sem problemas de assédio interconsciencial de monta, inteiramente seguro do que faz, consciente da circulação fechada de energias, da recepção de energias e da transmissão de energias conscienciais.

03. Recesso. Na exteriorização assistencial de energias com horário diário e pré-fixado está o melhor processo para o(a) projetor(a) consciente veterano evitar o recesso prolongado na produção das suas projeções conscientes.

04. Ondas.
As transmissões energéticas se fazem por ondas de energia bem caracterizadas, percebidas pelo(a) sensitivo-projetor(a) em geral de forma intermitente (não contínua).

05. Holochacra.
Durante a exteriorização das energias, às vezes o corpo humano parece menor ou menos volumoso, devido à expansão do holochacra exteriorizado, caracterizando-se o fenômeno não patológico da automicroscopia.

06. Máquina.
Frequentemente, durante as transmissões energéticas, o(a) praticante parece ouvir o pulsar de imensa máquina, como se estivesse com o corpo unificado, ou seja, o todo de seus veículos conscienciais, acoplado a potentíssimo dínamo invisível, servindo de sensitivo(a) a intangível máquina extrafísica.

07. Lança-chamas. Durante a semipossessão benigna, o holochacra dos braços e das mãos parece um lança-chamas aspergindo, com aparente violência, as energias conscienciais para a frente através de descargas em ritmo acelerado e constante. As mãos podem parecer também inconstantes aspersores energéticos. Nessa oportunidade surgem imagens de força, inspiradas pelos amparadores, como, por exemplo: a criação inicial incandescente de um sistema solar; o mar de lavas vivas de um vulcão em erupção; a corrida de aço do alto forno de usina. Todo o processo aqui lembra o funcionamento de um centrifugador-consciencial-energético-interdimensional.

08. Entrosamento.
A primeira descarga energética, mais receptora para o conjunto sensitivo(a)-transmissor(a) extrafísico, do que doadora para a consciência receptora, estabelece o entrosamento parapsíquico.

09. Oitava. Em geral, uma descarga energética entre as 11 - a oitava, por exemplo - pode ser perceptivelmente mais intensa ou mais potente do que as demais.

10. Qualidade.
O tempo não representa fator importante nas descargas energéticas. Importa muito mais a qualidade e a potencialidade das energias transmitidas.

11. Intervalos. O breve intervalo entre uma transmissão energética e outra serve para refazer fisiologicamente a conscin transmissora, reajustar o entrosamento conscin-consciex, bem como substituir a consciência receptora à frente ou a distância, sempre que necessário. O(a) amparador(a), nesse período, em geral não perde o controle parapsíquico-mental-energético do processo. As sensações intensas do(a) praticante podem desaparecer nos intervalos entre um descarga energética e outra, permanecendo ele controlado pela consciex durante as transmissões e semipossuído benignamente nos intervalos.

12. Sincronizações. Os sons das vibrações rítmicas na cabeça, durante as descargas energéticas, são sincrônicos com os movimentos de aspersões dos braços e das mãos.

13. Assincronizações.
A interferência de assincronizações efêmeras entre os sons e as aspersões energéticas se deve à dificuldade do entrosamento ou ao desentrosamento entre a mente do sensitivo(a) e a consciência extrafísica transmissora.

14. Transmissores.
Os transmissores energéticos extrafísicos - consciexes com visual de homem ou mulher - podem se alternar, em serviço, numa só sessão assistencial, e o sensitivo(a)-projetor(a) perceberá o revezamento e as mudanças técnicas, característicamente individuais e inconfundíveis.

15. Intensidade.
Quanto mais intensas forem as transmissões energéticas, maior será o bem-estar do(a) praticante no período posterior às transmissões.

16. Ritmos.
Não raro, o ritmo intenso e, às vezes, variado das descargas energéticas, os movimentos físicos e as constrações musculares não alteram praticamente em nada o ritmo cardíaco do(a) praticante. Tal fato, por si só, constitui fenômeno subjetivo e concomitante à parte. A rigor, a freqüência - sempre perceptível - das transmissões energéticas do(a) praticante, não se subordina à sua vontade, nem mesmo aos seus batimentos cardíacos, nem mesmo à sua freqüência cardiorrespiratória, nem ao andamento dos segundos do relógio comum, nem a qualquer outra fonte senão às ordenações parapsíquicas ou motrizes do transmissor(a) extrafísico básico, não obstante todo o conjunto de transmissão parecer, não raro, estar acoplado a poderosos aparelhos extrafísicos e intangíveis. Podem ocorrer 4 a 5 ritmos de transmissão energética, bem diferentes uns dos outros, em uma só sessão de 10 transmissões básicas.

17. Aferição.
As práticas da tenepes mantêm uma cobertura extrafísica positiva à vida humana do projetor ou projetora consciente.

18. Cobertura. As práticas da tenepes mantêm uma cobertura extrafísica positiva à vida humana do projetor(a) consciente.

19. Idéias. O estado ou o período de tempo das práticas de transmissão na tenepes mostram-se altamente propícios às assimilações de idéias novas por parte do(a) praticante atento.

20. Consciência. O estado psicofísico do sensitivo(a) ou projetor(a) consciente, no desempenho das práticas da tenepes, pode ser comparado à uma condição de cosmoconsciência própria do estado da vigília física ordinária ou a uma pangrafia assistencial máxima.

Extraído do Tratado "Projeciologia", 1999 por Waldo Vieira.

Prática da Tenepes

Prática da Tenepes


Profissionais. O artista na ribalta, o orador na tribuna, o advogado na corte, o professor na cátedra e o sensitivo(a) no transe tem conhecimento da energia emanada da audiência viva. Daí nasceu a prática da sessão parapsíquica.

Sintonia. A sessão parapsíquica e assistencial do eu sozinho, aparentemente, é contrária ou vai de encontro ao preceito referido da energia em grupo. No entanto, não se pode esquecer que o(a) praticante da tenepes jamais está sozinho, pois somente atua em profunda sintonia com amparadores(as) extrafísicas e, excepcionalmente, até consciências intrafísicas projetadas e assistidas, quando funciona como terapeuta perante consciexes carentes, energívoras ou doentes parapsicóticos extrafísicos. O fato de ser um trabalho parapsíquico em que participa apenas uma consciência intrafísica, torna a fiscalização e as defesas energéticas mais eficazes e, sobretudo, mais fáceis de serem mantidas pelos amparadores(as).
União. Havendo sintonia de consciências, afinização de sentimentos elevados (empatia) e coesão nos objetivos, não importa se o percentual de consciências reunidas seja mais de conscins ou de consciexes. O que vale é a união que faz a força mental, ou mais apropriadamente, consciencial, o que representa a intensidade das energias mobilizadas com a intenção positiva.

Umbilical. Num estágio mais avançado, as práticas da tenepes podem ser extrafisicamente orientadas para efeitos físicos (ectoplásmicos), por exemplo, com estas 9 características de manifestação:

01. Posição - Emprego da posição corporal em decúbito dorsal.

02.Temperatura - Queda da temperatura corporal e ambiental.

03. Fenômenos - Fenômenos amenos de efeitos físicos.

04. Tronco - Exteriorização energética mais através do tronco e da cabeça, e menos através dos braços e mãos.

05. Frequência - Mudança da frequência cardiorrespiratória durante as transmissões energéticas.

06. Umbilicochacra - Predominância evidente da atuação do umbilicochacra nas transmissões energéticas.

07. Abdome - Sensação de puxamento para cima, através do abdome, a cada exteriorização energética.

08. Musculatura - Fortalecimento da musculatura abdominal.

09. Braços - Cessação da hipertrofia da musculatura dos braçoes e ombros.

Duração. A transmissão energética na tenepes, estando o(a) animista-sensitivo(a) sentado, e com o uso preponderante da cabeça, dos braços e das mãos - ou seja, com o predomínio da atuação dos chacras coronário, frontal e laríngeo - se faz com exercícios físicos maiores, mais rapidamente, e a sessão assistencial demora menos. A transmissão energética estando o(a) animista-sensitivo(a) deitado, e com o uso predominante da cabeça, do tórax e do abdome, ou seja, com todos os 7 chacras básicos em ação, se faz com exercícios físicos menos intensos, mais lentamente, e a sessão assistencial demora mais, ocorrendo efeitos ectoplásmicos com freqüência maior.

Práticos. Quanto à vida humana, os exercícios energéticos nas práticas da tenepes são extremamente práticos. Até a pessoa que pelos seus compromissos individuais, humanos, não pode exercer o parapsiquismo nem duas vezes por semana em um grupo de estudos especializados, pode praticá-lo todo dia, sozinha e sigilosamente, sem excessivas autocensuras, fora do horário comercial, na intimidade da sua casa, sem problemas de translado e de trânsito, nem a exigência das convenções, cerimônias e princípios sociais da existência humana da Socin, de maneira independente da presença e do julgamento de outros seres intrafísicos.

Presidiários. As práticas da tenepes, assim como as projeções conscientes, são especialmente indicadas para serem executadas pelos presidiários em geral que desejarem mudar para melhor (recéxis) o rumo do próprio destino, incapacitados que se acham de se deslocarem fisicamente pelas próprias circunstâncias humanas impostas por seu isolamento forçado.

Miologia. Quem pratica diariamente os exerícios assistenciais da tenepes, dando passividade a amparador ou amparadora, acaba tornando os músculos dos braços, ombros e do tórax, inclusive os músculos peitorais, mais volumosos e rígidos, aumentando, inclusive, o peso corporal em razão desses exercícios, depois de algum tempo, tendo em vista a movimentação física, motora e muscular de modo habitual e regular.

Pruridos. Um dos primeiros indícios da manifestação dos fenômenos de efeitos físicos, ou exteriorização indiscutível de ectoplasma, é o surgimento não habitual de pruridos nas muscosas nasais, ou seja, coceiras inoportunas no interior do nariz (fossas nasais). Tal fato sobrevém durante as práticas assistenciais da transmissão das energias na tenepes. Isso se deve, provavelmente, à saída inicial de ectoplasma através das mucosas.

Nudez. Partindo do princípio de que as práticas da tenepes se desenvolvem com você, na qualidade de praticante (homem ou mulher) sozinho e isolado e, desde que você observe a ausência de correntes de ar no local, a temperatura ambiente adequada, e a utilização correta no momento do aparelho de ar condicionado, a fim de não contrair um resfriado, você pode se apassivar parapsiquicamente para os amparadores(as) permanecendo inteiramente nu, e com naturalidade, pois estes, sendo de mentalidade evoluída, não se importam pessoalmente com este fato. Isto, no entanto, pode afetar as reações das consciexes (com paravisuais homens ou mulheres) que se despertam extrafisicamente em função dos mesmos exercícios de transmissões energéticas assistenciais, cujos microuniversos conscienciais ainda se encontram profundamente envolvidos pelos condicionamentos humanos (parapsicóticos pós-dessomáticos).

Tenepes e as transmissões energéticas

Tenepes e as transmissões energéticas

Chacras. Ocorre constante aperfeiçoamento nas transmissões energéticas. Depois de vários anos, os exercícios diários, que não são sentidos como sacrifício, mas diariamente aguardados com alegria íntima, fazem o passista, homem ou mulher, perceber, no estado da vigília física ordinária, os chacras, especialmente 4 deles, ao mesmo tempo:

01. Sexochacra - O sexochacra latejante, como se o(a) praticante estivesse sentado sobre uma bola de fogo.

02. Umbilicochacra
- O umbilicochacra ou todo o abdome energizado para a frente.

03. Frontochacra - O frontochacra que parece pequeno mas poderoso aparelho incrustado na testa.

04. Coronochacra
- O coronochacra com a impressionante sensação de dissolução da cabeça.

Abordagens. Também os amparadores ou amparadoras trazem consciexes enfermas mais perturbadas e carentes (energívoras) para abordar o(a) praticante diretamente no estado da vigília física ordinária ou quando se projeta.

Resultados. Neste ponto, o rapport físico-extrafísico (afinidade, interação, empatia) se intensifica e os resultados das irradiações energéticas assistenciais melhoram.

Extras. Chegando o(a) praticante da tenepes a um grau elevado de afinização com a transmissora ou transmissor extrafísico titular, podem sobrevir exteriorizações energéticas extras ou emergenciais, ou seja, antes (principalmente) ou depois do período diário das transmissões, em momentos ou circunstâncias inesperadas.
Saúde. Tudo isso acontece sem forçar psíquica ou fisicamente o praticante, homem ou mulher, mas de modo agradável, enriquecedor e saudável - que jamais trará qualquer conotação assediadora ou prejudicial - objetivando o atendimento de consciexes enfermas em uma conjuntura emergencial.

Absorção. A absorção ou assimilação simpática, por afinidade, boa intenção e ascendência energética, de doenças, distúrbios ou afecções de certas pessoas-pacientes ou consciexes enfermas, pode ocorrer nas transmissões assistenciais da tenepes, seja de modo consciente ou insconsciente por parte de ambos, o(a) passista-absorvedor e o (a) paciente-absorvido.

Remissão.
A remissão definitiva dos sintomas e sinais do(a) paciente, após algum período de horas, dias ou até semanas nas transmissões energéticas, é que revela, em muito casos, a ocorrência da absorção simpática. Sempre que acontece, tal fato é desencadeado pelos próprios benfeitores extrafísicos, com bases nas possibilidades individuais maiores de descarte dos distúrbios pela condição de fortaleza energética por parte do(a) animista-sensitivo(a) transmissor(a) que, no entanto, pode identificar a absorção, ou não, assim que a mesma se instala dependendo do nível da sua autolucidez técnica dentro desses processos assistenciais.

Isca. A absorção simpática entre as consciências é o efeito mais avançado da condição de isca anímico-parapsíquica, fundamentada no estado de rapport, na existência das energias conscienciais e no fenômeno do acoplamento áurico. Não deve ser interpretada por episódio assediador, como entendemos o assédio patológico interconsciencial.
Continuum. Os hábitos assistenciais de exteriorização de energia podem conduzir a conscin à centralização ou fundamentação do ego, o mais elevado estado de equilíbrio que o ser humano consegue atingir. Neste ponto, quase sempre se instala o acoplamento do seu mentalsoma ao mentalsoma de uma consciex experiente, amparador ou amparadora, na serena condição do entrosamento do continuum de tomada de consciência.

Maturidade. Uma das utilidades das práticas da tenepes é a de ajudar a sanar os distúrbios do âmbito da parapatologia do psicossoma, dentre eles as seqüelas do restringimento físico da conscin que se tornou consciex recentemente. Por exemplo: a recuperação mais rápida da maturidade extrafísica para aquelas consciências que dessomaram em tenra idade ou na adolescência, ou seja, as crianças extrafísicas que merecem ou precisam voltar a ser consciencialmente adultas mais depressa. Nestes casos, as energias paratroposféricas da sensitivo(a) humano atuam de modo positivo e eficaz com possibilidade de rapport maior no desbloqueio e compesação das energias ainda muito humanas, animais, afins, remanescentes e vinculadas à consciex.

Tarefas. Nos objetivos mais elevados das práticas da tenepes, inclui-se, sem dúvida, o predomínio crescente da tares ou tarefa do esclarecimento sobre a tacon ou tarefa da consolação. Por aí se vê que há práticas da tenepes de maior ou menor qualidade, não apenas quanto a um só praticante, homem ou mulher, em diferentes períodos da vida, como também entre os êxitos interdimensionais de um praticante e outro.