Aprenda trabalhar com as energias do seu corpo

ESTADO VIBRACIONAL
A técnica da autodefesa energética, em circuito fechado, através
do estado vibracional, se assenta em manobras básicas que exigem perseverança.
Fique ereto, com os pés separados um do outro.
Cerre as pálpebras.
Deixe os braços caírem ao longo do soma.
Dirija o fluxo de sua bioenergia, pela impulsão da vontade, da
cabeça até às mãos e os pés.
Se não sabe o que é a bioenergia, não importa.
As práticas lhe mostrarão, a breve tempo, a realidade energética.
Se nada sentir nas primeiras tentativas, insista mesmo assim.
Acabará sentindo, porque a energia consciencial é da sua parafisiologia
inevitável, relativa ao holochacra.
Traga de volta o fluxo da sua energia consciencial, por sua vontade
decidida, dos pés até à cabeça.
Identifique, então, através das suas sensações ou vivências autocríticas,
a direção do fluxo da energia de baixo para cima, nitidamente
contrário ao fluxo anterior.
Repita estes procedimentos 10 vezes, sentindo e discriminando
o fluxo da energia varrendo os órgãos do seu soma.
Assim começam os desbloqueios e as compensações das energias
conscienciais em seus centros energéticos ou chacras básicos.
Aumente, gradualmente, a velocidade ou o ritmo da impulsão do
fluxo da energia consciencial, por intermédio da força de impulsão da
sua vontade decidida.
Expanda, ao máximo, a intensidade ou o volume do fluxo da energia
consciencial que passará a compor circuitos cada vez maiores e mais
potentes, por dentro e por fora do seu soma.
Você perceberá isso perfeitamente.
Este fato convence você da realidade.
Instale, por fim, o estado vibracional.
O fluxo e o circuito fechado desaparecem.
Toda a sua psicosfera energética torna-se completamente acesa,
feérica ou incandescente com a energia consciencial vibrante e você
sente sem qualquer dúvida.
Repita todo o procedimento, de início 20 vezes por dia, em condições,
situações e circunstâncias diferentes, sempre mantendo-se na
posição de pé ou ereto, seja nu (ou nua) no banheiro; vestido esportiva
ou socialmente; segurando embrulhos; debaixo da luz do Sol; sob a chuva;
e por aí afora, em qualquer lugar seguindo a sua motivação.
Nunca se sabe quando precisaremos de nossas autodefesas
energéticas.
A vida sempre oferece surpresas, nem todas bem-vindas ou agradáveis.
Vive melhor quem está preparado e alerta, bioenergeticamente,
24 horas por dia, o ano inteiro.
Perde quem emprega artifícios, andaimes pseudoprovidenciais,
ou muletas parapsicofísicas, seja qual for a natureza ou a desculpa, pretendendo
otimizar ou “enriquecer” essa técnica.
Isso impedirá o crescimento da confiança na própria vontade e nas
energias conscienciais.
Quem transfere erradamente para a muleta, o esforço que precisa
empregar com a vontade sobre as energias cosncienciais, não vem a conhecer
a si próprio, discriminar as energias, e melhorar o autodomínio
emocional.