32 bits e 64 bits

Tecnicamente um processador de 64bit garante maior poder de processamento, pois pode manipular o dobro de bits que um processador de 32bit pode manipular ao mesmo tempo. Alem disso, processadores de 64bit podem endereçar muito mais do que os 4Gb de memória que os processadores de 32bit endereçam. O problema é que para fazer uso dos 32bit adicionais, o software deve ser escrito para isso e, atualmente, sistemas operacionais e programas domésticos de 64bit ainda não são uma realidade.

Segundo os especialistas, sistemas operacionais, jogos e programas de 64bit só começarão realmente a

ECONOMIA COM PLACA-MÃE


ECONOMIA COM PLACA-MÃE


Usuários iniciantes e aqueles que estão totalmente afastados do hardware não sabem, mas a maioria dos PCs vendidos no Brasil são equipados com placas de  PC Chips, que é a marca mais barata e de pior reputação no mercado. Um pouco melhores são as marcas ECS e ASRock.

Marcas de melhor qualidade são Intel, MSI, Asus, Abit, Gigabyte, Soyo. Mas esses fabricantes sempre produziram modelos mais caros.

Felizmente, hoje, é possível encontrar modelos de vários desses fabricantes – com vídeo, som e rede onboard, slot AGP e três slots PCI – por cerca de R$ 250, ou seja, apenas R$ 70 mais caras que as placas PC Chips, o que não é em comparação com o preço final do computador.

O vídeo onboard não é ideal para quem gosta de jogos 3D, porém, é mais que suficiente para aplicações normais. A A7N266, por exemplo, da Asus, tem essas características, suporta até um Athlon XP 2600 e seu vídeo onboard tem desempenho quase igual ao de um chip GeForce2. Não produz aqueles gráficos incríveis encontrados nas lan houses, mas dá para usar. E custa cerca de R$ 250 no varejo.

Outros fabricantes como Abit, Soyo e Gigabyte oferecem placas no mesmo patamar de preço. Não existe mais razão para adotar placas de baixa qualidade só por causa do preço. Temos, agora, preços acessíveis em placas de fabricantes de melhor reputação.

:. S.M.A.R.T


:. S.M.A.R.T

O Termo vem de Self-Monitoring Analysys and Reporting Technology que forma a palavra "esperto" em Inglês. A idéia do S.M.A.R.T é que antes de seus suspiros finais todo HD apresenta alguns sinais de esgotamento, como um aumento no número de erros de leitura corrigidos usando os códigos de correção de erros (soft-errors), causados pelo desgastamento da mídia; variações na velocidade de rotação causados por problemas no motor, desgaste dos rolamentos ou ainda por problemas nos sistemas reguladores de tensão; vibração excessiva, causada por desbalanceamento do eixo que sustenta dos discos e assim por diante; assim como um motor de carro que começa a queimar óleo e a "bater pino".
O S.M.A.R.T é capaz de detectar estes sinais e avisar de problemas mecânicos iminentes. Isto é feito através da combinação de sensores instalados no próprio HD e um pequeno software implantado no BIOS que monitora estes erros. Para ativar o S.M.A.R.T é preciso habilitar a opção "S.M.A.R.T Support" encontrada no Setup. Os dados podem ser monitorados através de um software encontrado no CD de drivers da placa mãe. Em casos de emergência você receberá também um aviso logo depois do teste de memória, durante o boot.
Os fabricantes estimam que o S.M.A.R.T é capaz de prever de 70 a 80% das queimas de HDs causadas por problemas mecânicos. O sistema não é perfeito, afinal o HD pode parar por causa de um acidente qualquer (um chute no gabinete do micro, um pico de tensão, etc.) ou você pode perder os dados devido ao ataque de um vírus, mas de qualquer forma ele não deixa de ser um aliado importante

Serial ATA


Serial ATA


Serial ATA ou simplesmente SATA é um novo padrão de discos rígidos que deverá estar finalmente chegando ao mercado no final deste ano ou em 2003. Apesar de o padrão ter sido criado em 2000, os fabricantes de discos rígidos e de placas-mãe demoram um tempo até começarem a apresentar seus produtos e mais tempo é necessário até que os produtos cheguem efetivamente ao mercado. Na Computex 2002 vimos que os principais fabricantes de placas-mãe estarão lançando placas com porta Serial ATA ainda neste ano, então será apenas uma questão de tempo para termos discos e placas SATA no mercado.

Tudo sobre HDs


Tudo sobre HDs

O HD (dico rígido) é um dispositivo indispensável na vida de todos que utilizam o computador: é nele que são armazenados os arquivos e dados que são vitais para o funcionamento do micro. Muitas pessoas não sabem como funcionam esse fantástico dispositivo: aprenda como funciona o HD e como consertá-lo neste tutorial.
A parte responsável pelo armazenamento de dados são os discos magnéticos: eles são extremamente frágeis e possuem duas partes. A primeira delas é chamada de substrato, composta de discos metálicos que são na usualmente feitos de ligas de alumínio: estes discos metálicos são polidos em salas completamente limpas para que tenham uma superfície plana e sejam isentos de poeira (o maior inimigo do HD). Mas o HD não armazena os dados em um disco metálico: a fim de proporcionar um instrumento gravável, estes discos são recobertos por camadas de substâncias magnéticas, dando origem ao nome de "discos magnéticos".

Os discos magnéticos são extremamente frágeis mas são bastante resistentes: eles são montados em eixo que rotaciona-os em alta velocidade (os mais velozes funcionam a 15.000 rpm, sendo que a imensa maioria dos HDs funciona a 5.400 ou 7.200 rpm).

Termos Técnicos e Populares


Termos Técnicos e Populares
É preciso conhecer os termos técnicos de informática para entender os manuais dos produtos e as informações existentes nos sites especializados e dos fabricantes. Mas é preciso também conhecer os termos populares (normalmente imprecisos) usados no comércio e quase sempre pelos usuários. Um bom técnico precisa conhecer ambos os termos.
Muitos aprendem errado desde o início, mas nunca é tarde para conhecer o certo. Profissionais como professores e técnicos têm não somente a obrigação de conhecer os termos corretos, mas também de usá-los no dia-a-dia e divulgá-los entre os usuários.
 

FONTE DE ALIMENTAÇÃO de energia do PC


FONTE DE ALIMENTAÇÃO

            A fonte de alimentação do computador é projetada para transformar as tensões comuns da rede elétrica em níveis compatíveis da CPU,  além de filtrar ruídos e estabilizar.
            As fontes utilizadas nos computadores modernos são do tipo chaveada, sendo mais eficientes e , em geral, mais baratas por dois motivos: a regulagem chaveada é mais eficaz porque gera menos calor; em vez de dissipar energia, o regulador comutado desliga todo o fluxo de corrente. Além disso, as altas freqüências permitem o uso de transformadores e circuitos de filtragem menores e mais baratos.
           
            As tensões “geradas” pela fonte são quatro:
           

Erros Típicos de Montagem de pc


Erros Típicos de Montagem

Hoje iremos apresentar alguns erros comuns que muitos técnicos cometem ao montar um micro e que podem, no futuro, prejudicar o bom funcionamento de seu PC. Confira:
X Espuma antiestática: a maioria das placas-mãe vêm de fábrica com uma espuma antiestática (normalmente rosa) em sua embalagem. Muitos técnicos, ao montar a placa-mãe no gabinete, prendem essa espuma entre a placa-mãe e o chassi metálico do gabinete, pensando que esse procedimento evita que a placa-mãe encoste no chassi metálico do gabinete. Acontece que essa espuma retém o calor gerado pela placa-mãe e evita a normal circulação de ar que há no espaço existente entre a placa-mãe e o chassi metálico do gabinete. Com isso, é muito comum que micros montados usando essa espuma travem e/ou dêem erros aleatórios por superaquecimento.
X Placa-mãe frouxa: a placa-mãe deve estar muito bem presa no chassi metálico do gabinete. Já vimos muitos casos onde o micro dava resets aleatórios ou travava quando a mesa balançava porque a placa-mãe estava praticamente solta dentro do gabinete. Em outros casos é muito comum o micro perder a configuração (setup) da máquina quando uma nova placa é instalada no micro porque a placa-mãe "enverga" (por falta de pontos de apoio) e alguns de seus pontos de solda encostam no chassi metálico. Dessa forma, a placa-mãe deve estar muito bem presa ao chassi do gabinete, usando a maior quantidade de pontos de fixação possível.
X Cabo de força interno: em gabinetes do tipo AT é muito comum o cabo que liga a fonte de alimentação à chave liga-desliga do painel frontal do gabinete ficar caído sobre a placa-mãe, muitas vezes atrapalhando a dissipação de calor e até mesmo encostando na ventoinha do processador, fazendo com que ela pare de girar e que o micro trave por superaquecimento. O ideal é fazer com que esse cabo chegue até a chave liga-desliga pelo lado direito do gabinete (tendo como visão o gabinete em pé com a frente voltada para você), pela parte superior do chassi e não solto pelo lado esquerdo, como é o mais comum ocorrer.
X Flat cable do disco rígido: o disco rígido é conectado à placa-mãe do micro através de um flat cable de 40 fios que normalmente possui três conectores, um em cada ponta do cabo e um no meio. O disco rígido deve ser conectado em uma das extremidades o cabo e a placa-mãe, na outra. O conector do meio fica normalmente vazio. Acontece que alguns técnicos instalam o disco rígido no conector do meio do cabo, fazendo que o conector da ponta fique "sobrando". Isso não é bom, pois esse pedaço do cabo irá funcionar como uma antena, captando e injetando ruídos na transmissão de dados, fazendo com que a taxa de transferência do disco rígido seja menor.
X CD-ROM como slave do disco rígido: para obter o máximo de desempenho de seu micro, a unidade de CD-ROM deve ser instalada na porta IDE secundária da placa-mãe. Muitas pessoas instalam o CD-ROM no mesmo cabo do disco rígido (naquele conector do meio do cabo e que normalmente fica vazio). Isso faz com que o disco rígido e o CD-ROM tenham de disputar pelo uso do cabo, isto é, já que usam o mesmo cabo, os dois não podem trocar informações com o micro ao mesmo tempo, diminuindo o desempenho do micro. Se o seu micro estiver com o CD-ROM instalado no mesmo cabo do disco rígido, desfaça essa instalação: instale a unidade de CD-ROM na porta IDE secundária do micro, isto é, consiga um flat cable de 40 vias e instale o CD-ROM no conector vazio ao lado do conector onde o disco rígido está ligado, na placa-mãe.

Exame revela sexo do bebê

Exame revela sexo do bebê

Uma novidade para as gestantes. Com apenas oito semanas de gravidez, já é possível saber o sexo do bebê, a partir de uma simples amostra do sangue de sua mãe. O exame, chamado de determinação do sexo fetal, tem 98% de chances de acerto e, da 11ª semana em diante, o resultado chega a 99,9% de certeza.

Apesar de estar disponível há quase um ano, este tipo de exame só há pouco tempo tornou-se mais conhecido. Para ter uma idéia da procura pelo teste, o Hospital Sírio Libanês/SP, primeiro no Brasil a analisar as amostras, atendeu 10 mulheres em outubro de 2003. Em setembro de 2004, o número saltou para 100, e aumenta cada vez mais.

Como é feito – cerca de 5 ml do sangue da mulher é recolhido. Não é preciso estar em jejum e nem fazer qualquer preparação.

Como é analisado – com essa amostra, o biólogo separa o plasma do sangue e extrai o DNA do feto, utilizando uma técnica chamada PCR (do inglês Polymerase Chain Reaction). A presença do cromossomo "Y" indica que é um menino e a ausência dele, uma menina. Mas, atenção: o exame não revela nenhuma malformação fetal.

Gravidez de gêmeos – se forem gêmeos idênticos, univitelinos, o resultado é válido para os dois fetos. Em gêmeos fraternos, bivitelinos, o resultado “Y”, significa que ao menos um dos gêmeos será menino. Já a ausência desse cromossomo revela que os dois fetos são meninas.

Quando fazer – a partir da oitava semana de gestação.

Importante!
Não há riscos para a gestante e nem para o bebê, já que o teste não é invasivo.



Outras descobertas do DNA fetal

Dois outros exames, ainda em estudo, prometem revolucionar a medicina fetal. O primeiro ligado à descoberta de algumas síndromes, pode substituir, na maioria dos casos, a amniocentese, que traz um grande risco de aborto. Segundo especialistas, a técnica estará disponível em dois ou três anos.

Outra novidade, já existente na Inglaterra e na Holanda, está sendo estudada, aqui, por biólogos do Hospital Sírio Libanês: a determinação do Rh do bebê, na 20ª semana de gestação. Como se sabe, quando a mãe tem o fator negativo e o filho positivo, pode haver sofrimento ou morte fetal. Com o exame, o obstetra poderá se preparar para evitar complicações no parto.