AUTORREFLEXÃO DE 5 HORAS (AUTOCONSCIENCIOMETRIA )


AUTORREFLEXÃO   DE    5   HORAS 
(AUTOCONSCIENCIOMETRIA )

I.  Conformática

Definologia. A autorreflexão de 5 horas é a técnica de a conscin lúcida se dispor a reco-
lher-se em holopensene tranquilo, desligar-se do mundo exterior, sem quaisquer anotações, e re-
fletir profundamente sobre os temas mais relevantes e prioritários do momento evolutivo e da re-
ciclagem existencial, durante 5 horas consecutivas. 
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo reflexão deriva do idioma Latim, reflexio, “ação de voltar para trás”,
de reflexum, e este de reflectere, “recurvar; encurvar; vergar; dobrar; voltar; prestar atenção; re-
fletir”. Apareceu no Século XVII. O vocábulo  cinco  provém do idioma Latim Vulgar,  cinque,
adaptado do idioma Latim Clássico,  quinque,  “cinco”. Surgiu no Século XIII. A palavra  hora
vem do idioma Grego, hora, “período de tempo; qualquer divisão de tempo; tempo; duração de 
1 dia, uma noite, 1 mês, ou 1 ano; estação de tempo; razão; idade”, através do idioma Latim, ho-
ra, “hora; duração; época”. Apareceu também no Século XIII. 
Sinonimologia: 01.  Imersão reflexiva por 5 horas. 02.  Técnica da reflexão prolongada. 
03.  Solilóquio prolongado. 04.  Reflexão sobre si mesmo. 05.  Meditação holofilosófica. 06.  In-
trospecção prolongada. 07.  Sessão de autocriticismo. 08.  Sensatez pessoal. 09.  Autoperspicácia.
10.  Vida humana organizada.
Neologia. As 3 expressões compostas autorreflexão de 5 horas, autorreflexão de 5 horas
elementar  e  autorreflexão de 5 horas avançada  são neologismos técnicos da Autoconsciencio-

AUTORRACIOCINOFILIA (AUTORRACIOCINOLOGIA)


AUTORRACIOCINOFILIA
(AUTORRACIOCINOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autorraciocinofilia é a vocação natural da conscin, adquirida em múlti-
plas vidas humanas prévias, capaz de conduzir todos os autesforços confluentes para a evolução
consciencial, prioritária, assentada no bom humor e no bem-estar da comunicabilidade interassis-
tencial permanente.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós,
“eu mesmo; por si próprio”. O vocábulo raciocínio vem do idioma Latim, ratiocinium, “cálculo;
avaliação”, e este do verbo ratiocinari, “raciocinar; calcular; contar; avaliar; ponderar; apreciar;
estimar”, derivado de ratio, “cálculo; conta; razão; registro; medida; inteligência; tino; juízo; bom
senso; método; regra; modo de pensar; argumento; relação; trato; disposição; regularidade; alvo;
mira; interesse”. Surgiu no Século XVII. O segundo elemento de composição,  filia, provém do
idioma Grego, philos, “amigo; querido; queredor; agradável; que agrada”.
Sinonimologia: 1.  Autodiscernimentofilia. 2.  Autologicofilia. 3.  Gosto pela reflexão.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 15 cognatos derivados do vocábulo Raciocino-
logia: Antirraciocinologia; autorraciocinofilia; autorraciocinofobia; Autorraciocinologia; hete-
rorraciocinofilia; heterorraciocinofobia; Heterorraciocinologia; raciocinação; raciocinado; ra-
ciocinador; raciocinamento; raciocinofilia; raciocinofilismo; raciocinofobia; raciocinoteca. 
Neologia. O vocábulo autorraciocinofilia e as duas expressões compostas autorracioci-
nofilia elementar e autorraciocinofilia evoluída são neologismos técnicos da Autorraciocinologia.
Antonimologia: 1.  Autorraciocinofobia. 2.  Heterorraciocinofilia. 3.  Heterorraciocino-
fobia.
Estrangeirismologia: o Argumentarium; o apex mentis; o know how evolutivo; o brain-

AUTORADO HOLOCÁRMICO (MENTALSOMATOLOGIA)


AUTORADO     HOLOCÁRMICO
(MENTALSOMATOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. O autorado holocármico é o estado, condição, exercício da função ou título
intelectual específico do autor, ou autora, de  livro, notadamente  técnico, publicado, sobre  temas
evoluídos da Conscienciologia.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O termo autorado vem do idioma Latim, auctor, “produtor; gerador; funda-
dor;  inventor; escritor; preceptor”. Surgiu no Século XIII. O elemento de composição holo pro-
vém do idioma Grego, hólos, “total; completo; inteiro”. A palavra carma deriva do idioma Sâns-
crito, karma-n, “ação; efeito; fato”. Apareceu no Século XVII.
Sinonimologia: 1.  Autoramento holocármico. 2.  Função de autor holocármico. 3.  Grau
intelectual de autor holocármico. 4.  Reunião de autoras e autores holocármicos.
Neologia. As 3 expressões compostas autorado holocármico, autorado holocármico an-
tecipado e autorado holocármico maduro são neologismos técnicos da Mentalsomatologia.

ACEIRO - Aprenda novas palavras

ACEIRO
Aceiro é uma faixa intencionalmente desmatada, em torno ou através da vegetação, para evitar o alastramento de eventuais queimadas. No decorrer do ano há épocas em que o volume de água pluvial é praticamente nulo. Nessa fase, é comum a ocorrência de incêndios; para minimizar tal problema, uma opção é fazer um aceiro.

aceiro1 (a.cei.ro)
a.
1. Que tem as propriedades do aço
2. Que é agudo, forte (voz aceira)
sm.
3. Pessoa que trabalha em aço
[F.: Do lat. aciarium]
aceiro2 (a.cei.ro)
1. Terreno desbastado de vegetação, que se abre em torno ou através das matas, propriedades rurais etc. para evitar a propagação de incêndios; ATALHADA.
2. RJ GO Desbaste que se faz em terreno próximo a cerca de arame, dos dois lados, para evitar que o fogo de queimadas se alastre.
3. GO Queima do mato em torno de acampamento para proteger contra cobras e alguns insetos
[F.: De or. contrv.]

RESCALDO - Aprenda palavras novas

RESCALDO
O termo rescaldo designa o trabalho que é realizado com a intenção de se evitar um novo incêndio. Após o acidente ocorrido na Cidade do Samba, a equipe de bombeiros do Rio de Janeiro prosseguiu os trabalhos de rescaldo, para só finalizar a tarefa quando o local estiver completamente vistoriado.

(res.cal.do)
sm.
1. Calor reverberado de um incêndio ou fornalha
2. O borralho ou as cinzas que conservam ainda algumas brasas
3. O trabalho de prevenção para evitar que se inflamem de novo os restos de um incêndio recente.
4. Cinzas expelidas pelos vulcões
5. Peça de baixela us. para conservar quentes os pratos à mesa
6. Porção de estrume colocada em volta de um caixão para aquecer a terra pela fermentação
7. Fig. Saldo, resultado: Sua atitude deixou como rescaldo a antipatia de todos
[F.: Dev. de rescaldar. Hom./ Par.: rescaldo (sm.), rescaldo (fl. de rescaldar).]

AUTOPROÉXIS PARAPSÍQUICA (PARAPERCEPCIOLOGIA)


AUTOPROÉXIS    PARAPSÍQUICA
(PARAPERCEPCIOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. A autoproéxis parapsíquica é a programação existencial da conscin lúcida,
intermissivista, embasada no exercício interassistencial full time do autoparapsiquismo de múlti-
plas modalidades.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós,
“eu mesmo; por si próprio”. O vocábulo programação vem do idioma Latim, programma, “publi-
cação por escrito; edital; cartaz”, e este do idioma Grego, prógramma, “ordem do dia; inscrição”,
de prográphó, “escrever anteriormente; escrever na cabeça de”. Surgiu no Século XX. A palavra
existencial provém igualmente do idioma Latim, existentialis, “existencial”. Apareceu no Século
XIX. O segundo elemento de composição para deriva do idioma Grego, pará, “por intermédio
de; para além de”. O termo psíquico procede do mesmo idioma Grego, psykhikós, “relativo ao so-
pro, à vida; relativo aos seres vivos; relativo à alma”, de psykhé, “alma, como princípio de vida 
e sede dos desejos; sopro de vida”. Surgiu no Século XIX. 
Sinonimologia: 1.  Autoproéxis paraperceptiva. 2.  Programação existencial pessoal pa-
rapsíquica.
Arcaismologia. Eis, por exemplo, 2 vocábulos antiquados e envilecidos pelo uso emo-
cional para a autoproéxis parapsíquica: mediunato; missionato.
Neologia. As 3 expressões compostas  autoproéxis parapsíquica, autoproéxis parapsí-

AUTOPRIOROLOGIA (AUTODISCERNIMENTOLOGIA)


AUTOPRIOROLOGIA
(AUTODISCERNIMENTOLOGIA)


Definologia. A Autopriorologia é a Ciência aplicada aos estudos específicos, sistemáti-
cos, técnicos ou pesquisas das autovivências teáticas das prioridades evolutivas, na própria vida
dia-a-dia, empregando-se o máximo de acuidade multidimensional ou parapsíquica.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O elemento de composição auto provém do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O vocábulo prioridade deriva do idioma Latim Medieval, prioritas, “priori-
dade”, de  prior,  “que vem em primeiro lugar; que está mais avançado”. Apareceu em 1679. 
O elemento de composição logia procede do idioma Grego, lógos, “Ciência; Arte; tratado; expo-
sição cabal; tratamento sistemático de 1 tema”.
Sinonimologia: 1.  Ciência das Prioridades Pessoais. 2.  Ciência das Primazias Pes-
soais.  3.  Autopesquisa das prioridades. 4.  Autoprecedenciologia. 5.  Autopreferenciologia. 
6.  Autopreponenciologia.
Neologia.  O vocábulo  Autopriorologia  e as 3 expressões compostas  Autopriorologia
Aquisitiva, Autopriorologia Executiva  e Autopriorologia Distributiva  são neologismos técnicos
da Autodiscernimentologia.
Antonimologia:  1.  Antipriorologia. 2.  Autoposteriorologia. 3.  Autulteriorologia. 
4.  Anteriorologia.

AUTOPOSICIONAMENTO DE PONTA (AUTOPRIOROLOGIA)



AUTOPOSICIONAMENTO   DE   PONTA
(AUTOPRIOROLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O autoposicionamento de ponta é a posição pessoal, ideológica ou evoluti-
vamente definida e exposta sem rodeios, constituindo a diretriz teática das atividades, realizações,
ideais e autoproéxis da conscin lúcida, homem ou mulher, seguidora dos princípios da descrença
e da verbação.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto provém do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O vocábulo posicionamento vem do idioma Latim, positio, “ação de por, de
colocar; posição; situação”. Apareceu no Século XX. O termo ponta procede do mesmo idioma
Latim, puncta,  “estocada; golpe de ponta”, e este de pungere,  “picar; furar; entrar, atormentar;
afligir; fazer sofrer; mortificar”. Surgiu no Século XIII. 
Sinonimologia: 01.  Autoposicionamento vanguardista. 02.  Autoposicionamento avan-
çado.  03.  Opinião de ponta. 04.  Posição à frente. 05.  Posição da vanguarda. 06.  Posição da me-
gaprioridade. 07.  Posição avançada. 08.  Escolha da megaprioridade. 09.  Postura progressista.
10.  Opinião prafrentex; opinião renovadora.   
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 14 cognatos derivados do vocábulo posição: an-
teposição; antepositiva; antepositivo; contraposição; posicionada; posicionado; posicional; po-

AUTOPESAGEM (SOMATOLOGIA)

AUTOPESAGEM
(SOMATOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia.  A  autopesagem  é o ato ou operação de pesar, neste caso, especificamente, 
o corpo humano, androssoma ou ginossoma, empregando a balança pessoal, ou o autopesador de banheiro,
a fim de a conscin lúcida, homem ou mulher, se manter a par do próprio peso corporal 
e acompanhar a condição da saúde física.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mesmo; por si
próprio”. O termo pesar vem do idioma Latim, pensare, “pesar; examinar; ponderar; considerar; meditar;
recompensar; ressarcir; pagar com; ser punido”, e este de pendere, “determinar o peso”. Surgiu no Século
XIII. O sufixo agem provém do idioma Francês, age, formador de substantivo de base verbal ou nominal. A
palavra pesagem apareceu no Século XIX. 
Sinonimologia: 1.  Pesagem pessoal. 2.  Peso corporal pessoal.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 19 cognatos derivados do vocábulo peso: autopesador;
autopesagem; pesa; pesa-ácido; pesa-cartas; pesada; pesadão; pesadelar; pesadelo; pesado; pesador;
pesadora; pesadume; pesa-filtro; pesagem; pesa-leite; pesa-licor; pesa-papéis; repesagem.  

AUTOPERSUASÃO PRIMÁRIA (AUTEXPERIMENTOLOGIA)


AUTOPERSUASÃO   PRIMÁRIA
(AUTEXPERIMENTOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autopersuasão primária é a condição da conscin ainda insegura quanto 
à autovivência de certa prática, técnica ou procedimento, quando procura convencer-se da aplica-
ção, utilidade ou eficácia da mesma, expondo-se  repetidamente e tentando reafirmar-se sobre 
o assunto.
Tematologia. Tema central nosográfico.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo persuasão vem do idioma Latim, persuasio, de persuasum, supino
de  persuadere,  “persuadir; convencer”. Apareceu no Século XV. O vocábulo  primária  deriva
também do idioma Latim, primarius, “primeiro; principal; primário; que é da primeira ordem, de
primeiro plano”. Surgiu no Século XVII. 
Sinonimologia: 1.  Autopersuadição primária. 2.  Autopersuadimento primário. 3.  Au-
topersuasividade primária. 4.  Autoconvencimento primário. 5.  Autoconhecimento primário.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 22 cognatos derivados do vocábulo persuasão:
antipersuasão; autopersuadição; autopersuadimento; autopersuasividade; despersuadida; des-

AUTOPENSENIZAÇÃO ANALÓGICA (AUTOPENSENOLOGIA )



AUTOPENSENIZAÇÃO   ANALÓGICA 
(AUTOPENSENOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. A  autopensenização  analógica  é  a  elaboração  intraconsciencial  exclusiva
do ato de pensenizar da consciência, capaz de construir diferentes formas de ideias afins, conjuga-
das e em cadeias ininterruptas, bem como de expandir a autocognição nos contextos da evolução
consciencial interminável.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
por si próprio”. O vocábulo pensamento procede do idioma Latim, pensare, “pensar; cogitar; for-
mar alguma ideia; pesar; examinar; considerar; meditar”. Surgiu no Século XIII. A palavra senti-
mento deriva também do idioma Latim, sentimentum, através do idioma Francês, sentiment, “sen-
timento; faculdade de receber as impressões físicas; sensação; conhecimento; fato de saber qual-
quer  coisa;  todo  fenômeno da  vida  afetiva;  emoção;  opinião; bom  senso”. Apareceu no Século
XIV. O  termo energia provém do  idioma Francês, énergie, derivado do  idioma Latim, energia, 
e este do idioma Grego, enérgeia, “força em ação”. Surgiu no Século XVI. O vocábulo analógico

AUTOPENSENIZAÇÃO VIGOROSA (AUTOPENSENOLOGIA)


AUTOPENSENIZAÇÃO   VIGOROSA
(AUTOPENSENOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autopensenização vigorosa é a condição da pensenização de alta intensi-
dade da consciência, conscin ou consciex, autolúcida quanto ao poder da própria pensenidade, ca-
paz de movimentar positivamente as energias conscienciais (ECs) a partir de si, destacando-se na
maioria dos holopensenes, principalmente a partir da extrafisicalidade.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
por si próprio”. O vocábulo pensamento procede do idioma Latim, pensare, “pensar; cogitar; for-
mar alguma idéia”. Surgiu no Século XIII. A palavra sentimento deriva também do idioma Latim,
sentimentum, através do idioma Francês, sentiment, “faculdade de receber as impressões físicas;
sensação; conhecimento; todo fenômeno da vida afetiva; emoção; sentimento”. Apareceu no Sé-
culo XIV. O termo energia provém do idioma Francês, énergie, derivado do idioma Latim, ener-
gia, e este do idioma Grego, enérgeia, “força em ação”. Surgiu em 1563. O vocábulo vigoroso
vem do idioma Latim, vigor, “vigor; força do corpo; robustez; energia; vitalidade”. Apareceu no
Século XVI.

AUTOPENSENIZAÇÃO COSMOVISIOLÓGICA (COSMOVISIOLOGIA)


AUTOPENSENIZAÇÃO   COSMOVISIOLÓGICA
(COSMOVISIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autopensenização cosmovisiológica é o ato de pensenizar fixado em ob-
jetivos grandiosos, sadios, além do contexto restrito da vida pessoal egoica, a fim de ampliar a au-
tocosmovisão evolutiva na realidade pontual, específica, na qual a conscin lúcida penseniza, se
situa e vive.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O vocábulo pensamento provém do idioma Latim, pensare, “pensar; cogitar;
formar alguma ideia; pesar; examinar; considerar; meditar”. Apareceu no Século XIII. A palavra
sentimento  vem do mesmo idioma Latim,  sentimentum,  através do idioma Francês,  sentiment,

AUTOPENSENIZAÇÃO (AUTOPENSENOLOGIA)


AUTOPENSENIZAÇÃO
(AUTOPENSENOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A  autopensenização  é a elaboração intraconsciencial exclusiva do ato de
pensenizar da consciência, construindo diferentes formas de ideias, sentimentos e manifestações
energéticas, conjugadas e ininterruptas, expandindo a autocognição nos contextos da evolução in-
terminável.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O vocábulo pensamento provém do idioma Latim, pensare, “pensar; cogitar;
formar alguma ideia; pesar; examinar; considerar; meditar”. Apareceu no Século XIII. A palavra
sentimento  vem do mesmo idioma Latim,  sentimentum,  através do idioma Francês,  sentiment,
“sentimento; faculdade de receber as impressões físicas; sensação; conhecimento; fato de saber
qualquer coisa; todo fenômeno da vida afetiva; emoção; opinião; bom senso”. Surgiu no Século
XIV. O termo energia procede do idioma Francês, énergie, derivado do idioma Latim, energia, 
e este do idioma Grego, enérgeia, “força em ação”. Apareceu no Século XVI. 
Sinonimologia: 1.  Autopensenidade. 2.  Intrapensenização. 3.  Autorreflexão. 
Neologia. O vocábulo autopensenização e as 3 expressões compostas autopensenização
vulgar, autopensenização despertológica e autopensenização serenológica são neologismos téc-
nicos da Autopensenologia.
Antonimologia: 1.  Heteropensenização. 2.  Heteropensenidade. 3.  Minipensenização.

AUTOPENSENE PRIORITÁRIO (AUTOPENSENOLOGIA)


AUTOPENSENE    PRIORITÁRIO
(AUTOPENSENOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O autopensene prioritário é o pensamento ou a intencionalidade, impostos
como prioridade executiva pela vontade determinante da conscin lúcida, como técnica evoluída
em todas as ações diretas das realizações pessoais.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
por si próprio”. O vocábulo pensamento procede do idioma Latim, pensare, “pensar; cogitar; for-
mar alguma ideia; pesar; examinar; considerar; meditar”. Surgiu no Século XIII. A palavra senti-
mento deriva também do idioma Latim, sentimentum, através do idioma Francês, sentiment, “sen-
timento; faculdade de receber as impressões físicas; sensação; conhecimento; fato de saber qual-
quer coisa; todo fenômeno da vida afetiva; emoção; opinião; bom senso”. Apareceu no Século
XIV. O termo energia provém do idioma Francês, énergie, derivado do idioma Latim, energia, 
e este do idioma Grego, enérgeia, “força em ação”. Surgiu no Século XVI. O vocábulo prioritá-
rio vem do idioma Francês, prioritaire,  “prioritário”, de priorité,  “prioridade”, e este de prior, 
“o primeiro (na ordem numeral; e com relação a 2); o qual excede; sobrepuja; superior; mais im-
portante; precedente; antecedente; dianteiro; que está mais avançado”. Apareceu no Século XX. 
Sinonimologia: 1.  Autopensene primeiro. 2.  Autopensene ideal. 3.  Autopensene emba-
sador. 4.  Autopensene predominante. 5.  Autopensene mais utilizável.
Neologia. As 3 expressões compostas autopensene prioritário, autopensene prioritário
egóico e autopensene prioritário fraterno são neologismos técnicos da Autopensenologia

AUTOPARAPSIQUISMO AVANÇADO (AUTOPARAPERCEPCIOLOGIA)


AUTOPARAPSIQUISMO   AVANÇADO
(AUTOPARAPERCEPCIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O autoparapsiquismo avançado é o predomínio das percepções extrassen-
soriais, especificamente do autodiscernimento quanto às manifestações interdimensionais, em ní-
vel mais elevado, quando aplicadas às tarefas interassistenciais diversificadas.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto deriva do idioma Grego, autós,
“eu mesmo; por si próprio”. O segundo elemento de composição para procede também do idioma
Grego, pará, “por intermédio de; para além de”. O termo psiquismo provém do idioma Francês,
psychisme, e este do idioma Grego, psykhé, “alma, como princípio de vida e sede dos desejos; so-
pro de vida”. Surgiu no Século XIX. O vocábulo avançado vem do idioma Catalão, avansar, “ir
adiante”, provavelmente por influência do idioma Espanhol,  avanzar,  e este do idioma Latim,
abantiare, derivado do idioma Latim Tardio, abante, “avante; adiante”. Apareceu no Século XIV. 
Sinonimologia: 1.  Autoparapsiquismo evoluído. 2.  Autoparapercepciologia Avançada.     
Neologia. As 3 expressões compostas autoparapsiquismo avançado, autoparapsiquismo
avançado especializado e autoparapsiquismo avançado cosmovisiológico são neologismos técni-
cos da Autoparapercepciologia.
Antonimologia: 1.  Autoparapsiquismo doentio. 2.  Autoparapsiquismo amador.
Atributologia: predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscer-
nimento quanto ao parafenômeno da cosmoconsciência.

AUTONOMIA (AUTONOMOLOGIA)



AUTONOMIA
(AUTONOMOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autonomia é a capacidade de se autogovernar, o direito de a conscin to-
mar decisões livremente, dentro de organização mais vasta, regida por poder central, por exem-
plo, ao modo do país onde seja cidadã ou cidadão.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O termo autonomia deriva do idioma Grego, autonomia, “direito de reger-se
segundo leis próprias”, provavelmente através do idioma Francês, autonomie. Apareceu no Sé-
culo XIX.
Sinonimologia:  01.  Liberdade pessoal. 02.  Livre-arbítrio pessoal. 03.  Autogoverno.
04.  Autodeterminação. 05.  Liberologia. 06.  Independência  intelectual; independentização. 
07.  Autossuficência. 08.  Autossustentabilidade. 09.  Abertismo consciencial. 10.  Independência
cosmoética.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 8 cognatos derivados do vocábulo autonomia:
autônoma; autonômica; autonômico; Autonomismo; autonomista; autonomização; autonomizar; 
autônomo.
Neologia. As duas expressões compostas autonomia primária e autonomia avançada são
neologismos técnicos da Autonomologia.
Antonimologia: 01.  Dependência pessoal. 02.  Escravidão. 03.  Sujeição. 04.  Servidão. 
05.  Liberticídio. 06.  Heterodeterminação. 07.  Determinismo. 08.  Heteronomologia. 09.  Anti-

AUTOMEGATRAFARISMO (INTERASSISTENCIOLOGIA)


AUTOMEGATRAFARISMO
(INTERASSISTENCIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O  automegatrafarismo  é a condição da consciex reurbanizada (consréu),
ressomada (conscin), ainda portadora de megavícios (megatrafares ou megatraços-fardo) secula-
res, objeto essencial de assistência para a conscin intermissivista, homem ou mulher, interassis-
tencial, no âmbito da reciclagem intrafísica, terrestre, no Terceiro Milênio.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu
mesmo; por si próprio”. O segundo elemento de composição mega deriva também do idioma Gre-
go, mégas, megale, “grande; grandemente; muito”. Apareceu, na Linguagem Científica Interna-
cional, no Século XIX. O vocábulo traço procede do idioma Latim,  tractiare, e este de  trahere,
“tirar; puxar; arrastar; mover dificultosa ou lentamente; rolar; levar de rojo; puxar para si; atrair”.
Surgiu no Século XVI. O termo fardo é de origem controversa, provavelmente do idioma Francês
Antigo, fardel, hoje, fardeau, “peso”. Apareceu no Século XV. O sufixo ismo provém do idioma
Grego, ismós, “doutrina; escola; teoria ou princípio artístico, filosófico; político ou religioso; ato,
prática ou resultado de; peculiaridade de; ação; conduta; hábito ou qualidade característica de;
quadro mórbido; condição patológica”. 
Sinonimologia: 1.  Conscienciograma da consréu. 2.  Perfil da consréu.
Neologia. O vocábulo automegatrafarismo  e as duas expressões compostas automega-
trafarismo adolescente e automegatrafarismo adulto  são neologismos técnicos da Interassisten-
ciologia.
Antonimologia:  1.  Automegatraforismo. 2.  Objetivo assistencial do intermissivista. 
3.  Objetivo reeducacional da conscin lúcida.
Atributologia: predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscer-
nimento da conscin quanto à reurbanização extrafísica terrestre.

AUTOLUCIDEZ PARAPSÍQUICA (AUTOLUCIDOLOGIA)


AUTOLUCIDEZ   PARAPSÍQUICA
(AUTOLUCIDOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia.  A  autolucidez parapsíquica  é a condição, qualidade, estado lúcido de
abrangência, aprofundamento e / ou penetração da engenhosidade pessoal, clara, objetiva e aguda
da autoconsciencialidade, ou inteligência evolutiva quanto ao emprego dos conteúdos das múlti-
plas modalidades de parapercepções com identificação racional, teática, dos parafatos, ou parafe-
nômenos, no universo da multidimensionalidade consciencial.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo,
por si próprio”. Apareceu, na Terminologia Científica Internacional, no Século XIX. O termo lu-
cidez deriva do idioma Latim, lucidus, “luminoso; luzente; radioso; nítido; claro; evidente; mani-
festo”. Surgiu no Século XIX. O elemento de composição para provém do idioma Grego, pará,
“por intermédio de; para além de”. O vocábulo psíquico procede também do idioma Grego, psy-
khikós, “relativo ao sopro, à vida; relativo aos seres vivos; relativo à alma”, de psykhé, “alma, co-
mo princípio de vida e sede dos desejos; sopro de vida”. Apareceu no mesmo Século XIX.
Sinonimologia: 01.  Hololucidez parapsíquica. 02.  Hiperlucidez parapsíquica. 03.  Hi-
peracuidade parapsíquica. 04.  Percuciência parapsíquica. 05.  Sensibilidade parapsíquica. 
06.  Megalucidez paraperceptiva. 07.  Paralucidez. 08.  Consciência parapsíquica. 09.  Autodis-
cernimento paraperceptivo. 10.  Antenagem parapsíquica.
Neologia. As 3 expressões compostas autolucidez parapsíquica, autolucidez parapsíqui-
ca juvenil e autolucidez parapsíquica madura são neologismos técnicos da Autolucidologia.

AUTOLUCIDEZ ANTECIPADA (AUTOLUCIDOLOGIA)


AUTOLUCIDEZ   ANTECIPADA
(AUTOLUCIDOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autolucidez antecipada é a condição, qualidade, estado lúcido de abran-
gência, aprofundamento e / ou penetração da engenhosidade pessoal, clara, objetiva e aguda da
autoconsciencialidade evolutiva, precoce, da conscin quando ainda vivendo no período da infân-
cia ou da adolescência, objetivando priorizar, sem enganos nem experiências deslocadas infrutífe-
ras, a própria programação existencial (proéxis) e obter eficácia maior nos autodesempenhos li-
bertários.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O vocábulo lucidez deriva do idioma Latim, lucidus, “luminoso; luzente; ra-
dioso; nítido; claro; evidente; manifesto”. Apareceu no Século XIX. A palavra antecipada pro-
vém do mesmo idioma Latim, anticipatus, “antecipado”, de antecipare, “antecipar”, composta de
ante, “diante de; na presença de; antes; anteriormente”, e capere, “tomar; pegar; sofrer; padecer;
ser impedido; ganhar; cativar; admitir; comportar”. Surgiu no Século XV. 
Sinonimologia: 01.  Autolucidez precoce. 02.  Autoperceptibilidade precoce. 03.  Apre-
ensibilidade precoce. 04.  Maturidade precoce. 05.  Autopercuciência antecipada. 06.  Hiperacui-
dade infantil. 07.  Hiperacuidade juvenil. 08.  Maturidade imberbe. 09.  Superdotação infantil. 10. 
Recuperação precoce dos cons.

AUTOIDENTIFICAÇÃO SOMÁTICA (AUTOSSOMATOLOGIA)


AUTOIDENTIFICAÇÃO   SOMÁTICA
(AUTOSSOMATOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A  autoidentificação somática  é a abordagem acurada do jovem inversor
existencial, moça ou rapaz, ao próprio corpo humano, a fim de conscientizar-se das potencialida-
des e detalhes específicos do novo veículo de manifestação consciencial, recebido por meio da
Genética, adaptando-se de modo mais eficaz ao uso do corpo-fole, entrosado nesta vida intrafísica
com a execução satisfatória da autoproéxis.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
por si próprio”. O termo  identificar  tem origem controversa. Para Antenor de Veras Nascentes
(1886–1972), o vocábulo é composto pelas palavras do idioma Latim, identicu, “idêntico; seme-
lhante”, e  facere, “fazer; executar; efetuar; levar a efeito; desempenhar; cumprir; cometer”. Se-
gundo José Pedro Machado (1914–2005) e Antônio Geraldo da Cunha (1924–1999), o étimo deri-
va do idioma Latim Medieval, identificare, “identificar”. Surgiu no Século XVII. O termo identi-
ficação apareceu em 1881. A palavra somática provém do idioma Francês, somatique, e esta do
idioma Grego, somatikós, “do corpo; material; corporal”. Surgiu no Século XIX. 
Sinonimologia: 1.  Autoidentificação orgânica. 2.  Autoidentificação corporal. 3.  Auto-
conscientização somática. 4.  Autocondicionamento somático. 5.  Invexologia.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 18 cognatos derivados do vocábulo invéxis: An-

AUTOIDENTIFICAÇÃO SERIEXOLÓGICA (SERIEXOLOGIA)


AUTOIDENTIFICAÇÃO   SERIEXOLÓGICA
(SERIEXOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia.  A  autoidentificação seriexológica  é o ato ou efeito de a conscin lúcida
identificar e admitir, com toda responsabilidade  autocrítica e cosmoética, indícios realísticos 
e  determinadores de autovivências humanas, prévias, seculares ou milenares.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu
mesmo; por si próprio”. O termo identificar tem origem controversa. Para Antenor de Veras Nas-
centes (1886–1972), o vocábulo é constituído pelas palavras do idioma Latim, identicu, “idêntico;
semelhante”, e  facere, “fazer; executar; efetuar; levar a efeito; desempenhar; cumprir; cometer”.
Segundo José Pedro Machado (1914–2005) e Antônio Geraldo da Cunha (1924–1999), o étimo
deriva do idioma Latim Medieval,  identificare,  “identificar”. Surgiu no Século XVII. O termo
identificação apareceu em 1881. O vocábulo série provém do idioma Latim, series, “enlaçamen-
to; encadeamento; fieira; fiada; série de objetos”. Surgiu no Século XVII. A palavra existencial
procede do idioma Latim Tardio, existentialis, “existencial”. Apareceu no Século XIX. O segun-
do elemento de composição logia vem do idioma Grego, lógos, “Ciência; Arte; tratado; exposição
cabal; tratamento sistemático de 1 tema”.   
Sinonimologia: 1.  Autoidentificação multissecular. 2.  Autoidentificação holobiográfi-
ca. 3.  Autoidentificação paragenética. 4.  Autorreconhecimento holobiográfico.
Neologia. As 3 expressões compostas autoidentificação seriexológica, autoidentificação
seriexológica ilusória e autoidentificação seriexológica real são neologismos técnicos da Serie-
xologia.
Antonimologia: 1.  Apedeutismo seriexológico. 2.  Ignorância holobiográfica. 3.  Des-

AUTOIDENTIFICAÇÃO (AUTOCOGNICIOLOGIA)


AUTOIDENTIFICAÇÃO
(AUTOCOGNICIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autoidentificação é o ato ou efeito de a conscin lúcida identificar e admi-
tir, em si mesma, com toda responsabilidade autocrítica e cosmoética, determinadas condições
evolutivas de alto nível estruturadoras dos sonhos dourados de consumo da maioria dos compo-
nentes da Humanidade.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo identificação é de origem controversa. Para Antenor de Veras Nas-
centes (1886–1972), o vocábulo é composto pelas palavras do idioma Latim, identicu, “idêntico;
semelhante”, e  facere, “fazer; executar; efetuar; levar a efeito; desempenhar; cumprir; cometer”.
Segundo Antonio Geraldo da Cunha (1924–1999), o termo deriva do idioma Latim Medieval,
identificare, “identificar”. Surgiu em 1881.
Sinonimologia: 1.  Autadmissão. 2.  Autodiagnóstico.
Neologia. As duas expressões compostas  autoidentificação básica  e  autoidentificação

AUTO-HERANÇA PARAPSÍQUICA (SERIEXOLOGIA)


AUTO-HERANÇA    PARAPSÍQUICA
(SERIEXOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A auto-herança parapsíquica é a ação de herdar, ou adquirir por sucessão
de si mesmo, de determinada vida humana para outra, a totalidade do patrimônio consciencial
quanto aos atributos paraperceptivos, incluindo os mais evoluídos adquiridos nesta atual exis-
tência.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto provém do idioma Grego, autós,
“eu mesmo; por si próprio”. A palavra herança vem do idioma Latim, haerentia, “coisas vincula-
das; pertences”, neutro plural de  haerens,  particípio presente de  haerere,  “estar ligado, fixado;
prender; segurar; agarrar; aderir; parar; deter-se”. Surgiu no Século XIII. O segundo elemento de
composição para procede do idioma Grego, pará, “por intermédio de; para além de”. O vocábulo
psíquico deriva igualmente do idioma Grego, psykhikós, “relativo ao sopro, à vida; relativo aos
seres vivos; relativo à alma”, de psykhé, “alma, como princípio de vida e sede dos desejos; sopro
de vida”. Apareceu no Século XIX.  
Sinonimologia: 1.  Auto-hereditariedade parapsíquica. 2.  Auto-herança paraperceptiva.
3.  Autorrevezamento multiexistencial parapsíquico. 4.  Autorrevezamento multissomático.

AUTOFRACASSO DESLOCADO (AUTOPROEXOLOGIA)


AUTOFRACASSO   DESLOCADO
(AUTOPROEXOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O autofracasso deslocado  é a condição do assistente, homem ou mulher,
quando se deixa influenciar, de modo autovitimizador, ilógico e inconveniente, pelos reflexos ou
respingos dos atos infelizes dos insucessos da consciência assistida.
Tematologia. Tema central nosográfico.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo fracasso vem do idioma Italiano, fracasso, “baque; ruína; desgraça”.
Surgiu no Século XVIII. O prefixo des provém do idioma Latim, dis ou de ex, “negação; oposi-
ção; falta; separação; divisão; aumento; reforço; intensidade”. A palavra locar deriva também do
idioma Latim, locare, “alugar; arrendar; pôr; colocar; pousar; postar; dispor; situar; estabelecer”,
de locus, “lugar”. O vocábulo deslocado apareceu no Século XVII. 
Sinonimologia: 01.  Fracasso pessoal deslocado. 02.   Autofracasso injusto. 03.  Auto-
fracasso irreal. 04.  Pseudofracasso pessoal. 05.   Reflexo de fracasso alheio. 06.  Autoinsucesso
deslocado. 07.  Autoinsucesso imaginativo. 08.  Respingo de insucesso de outrem. 09.  Reflexo
do malogro de outrem. 10.  Reflexo da falência alheia.  
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 9 cognatos derivados do vocábulo fracasso: au-
tofracasso; cofracasso; fracassada; fracassado; fracassar; heterofracasso; megafracasso;
minifracasso; pseudofracasso.  
Neologia. As 3 expressões compostas autofracasso deslocado, autofracasso deslocado

AUTOFICÇÃO (AUTASSEDIOLOGIA)


AUTOFICÇÃO
(AUTASSEDIOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. A autoficção é a autopensenização disfuncional, irrealista, fantasista, ilusó-
ria, onírica, exagerada ou megalomaníaca na vida diuturna, intra e extrafísica.
Tematologia. Tema central nosográfico.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo ficção vem do idioma Latim, fictio, “formação; criação; obra; traba-
lho;  ação  de  fingir;  pensamento  dissimulado;  suposição;  hipótese”,  provavelmente  através  do
idioma Francês, fiction, “impostura”. Surgiu no Século XVI. 
Sinonimologia: 01.  Autodevaneio. 02.  Autonirismo. 03.  Autofantasia. 04.  Autofarsa.
05.  Automistificação. 06.  Autoilusão. 07.  Automentira. 08.  Autoirrealidade. 09.  Autembuste.
10.  Automegalomania; fábula autobiográfica; ficção autobiográfica. 
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 14 cognatos derivados do vocábulo ficção: fic-
cional; ficcionalidade; ficcionalismo; ficcionalista; ficcionalística; ficcionalístico; ficcionarizar;
ficcionarização; ficciônimo; ficcionismo; ficcionista; ficcionística; ficcionístico; metaficção. 
Neologia. O vocábulo autoficção  e as duas expressões compostas autoficção amadora 
e autoficção profissional são neologismos técnicos da Autassediologia.

AUTODOMÍNIO DA CONQUISTA (AUTEVOLUCIOLOGIA)


AUTODOMÍNIO   DA   CONQUISTA    
(AUTEVOLUCIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O autodomínio da conquista é a condição da conscin lúcida, com pleno go-
verno pessoal e excelência psicofísica, de controlar determinada vivência ou feito de ordem evo-
lutiva superior, prioritária ou cosmoética.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo domínio provém do idioma Latim, dominium, “domínio; proprieda-
de; senhorio”, ligado a dominus, “senhor de; dono; proprietário; possuidor; chefe; soberano; árbi-
tro”, derivado de domus, “casa; morada; habitação; família; pátria”. Surgiu no Século XV. A pa-
lavra conquistar provém do idioma Latim Medieval, conquistare, “conquistar”. Apareceu no Sé-
culo XIV. O vocábulo conquista surgiu no Século XIII. 
Sinonimologia: 1.  Autodomínio do megadesempenho. 2.  Autodomínio da megaperfor-
mance. 3.  Autodomínio parapsicofísico. 4.  Autodominância das megatividades evolutivas.  
Neologia. As duas expressões compostas autodomínio da conquista básica e autodomí-
nio da conquista evoluída são neologismos técnicos da Autevoluciologia.
Antonimologia: 1.  Autoconquista amadorista. 2.  Autoconquista diletante.
Estrangeirismologia: a condição do ranking em determinada conquista pessoal; a con-
dição técnica ou profissional do expert; o Cognitarium; o curriculum vitae magnum da pessoa; 
o  strong profile  cognitivo; o  will power;  a  expertise;  o  high level of selfperformance  fixado; 
o point of no return.
Atributologia: predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à holomaturidade psicossomática e à holomaturidade mentalsomática.

II.  Fatuística

Pensenologia:  o holopensene pessoal da evolução consciencial; os evoluciopensenes; 
a evoluciopensenidade; os cognopensenes; a cognopensenidade; os parapensenes; a parapenseni-
dade; os tecnopensenes; a tecnopensenidade; os paratecnopensenes; a paratecnopensenidade; 
a autopensenização especializada.

AUTODISCERNIMENTO AFETIVO (MENTALSOMÁTICA)


AUTODISCERNIMENTO   AFETIVO
(MENTALSOMÁTICA )

              I.  Conformática

Definologia. O  autodiscernimento afetivo  é o ato ou efeito de discernir e determinar 
a capacidade pessoal de dominar as próprias emoções por meio das autorreflexões, ponderações 
e equilíbrio autopensênico, separando, com lógica, a influência nefasta dos surtos emocionais das
decisões racionais evoluídas.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo discernimento vem do idioma Latim, discernere, “separar; escolher
apartando com cuidado; discernir; distinguir”. Surgiu no Século XVIII. A palavra afetivo deriva
também do idioma Latim, affectivus, “que exprime desejo; afetivo”. Apareceu no Século XVII.
Sinonimologia:  1.  Autodiscernimento afetivo-sexual. 2.  Primado do mentalsoma. 
3.  Holomaturidade psicossomática. 4.  Autoconsciencialidade afetiva. 5.  Autopriorologia. 
6.  Antinstintividade.
Neologia. As 3 expressões compostas autodiscernimento afetivo, autodiscernimento afe-
tivo retroativo e autodiscernimento afetivo pró-ativo  são neologismos técnicos da Mentalsomá-
tica.
Antonimologia: 1.  Antidiscernimento afetivo. 2.  Indiscernimento afetivo. 3.  Ditadura
do psicossoma. 4.  Síndrome da ectopia afetiva. 
Estrangeirismologia: a apex mentis; a awareness afetiva; o modus vivendi  intelectivo; 
o Pólo Conscienciocêntrico Discernimentum.
Atributologia: predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento
quanto à afetividade.

AUTODETERMINOLOGIA (AUTOVOL ICIOLOGIA)


AUTODETERMINOLOGIA
(AUTOVOL ICIOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. A Autodeterminologia é a Ciência aplicada aos estudos do potencial,  inten-
ção, disposição, competência, prontidão, organização e firmeza da consciência para decidir por si
mesma ou persistir com posicionamento e vigor concentrado em condutas eficazes visando alcan-
çar os objetivos proexológicos programados e manter as conquistas evolutivas já obtidas.   
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
por si próprio”. Apareceu, na Linguagem Científica Internacional, no Século XIX. O termo deter-
minação procede do idioma Latim, determinatio, “limite; demarcação; fim; extremidade”. Surgiu
no Século XV. A palavra autodeterminação apareceu, no idioma Português, em 1949.  
Sinonimologia: 01.  Ciência do estudo da Autodeterminação. 02.  Autodeliberaciologia.
03.   Autafirmaciologia.  04.   Autexpressologia.  05.    Pesquisa  da  liberdade  de  autoconduzir-se. 

AUTODETERMINAÇÃO (AUTODETERMINOLOGIA)



AUTODETERMINAÇÃO  
(AUTODETERMINOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autodeterminação é o ato ou efeito de a consciência determinar, decidir,
deliberar, prescrever, resolver, afirmar e definir alguma ação pessoal.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. A palavra determinação provém do idioma Latim, determinatio, “limite; ex-
trema; demarcação; fim; extremidade”. Surgiu no Século XIV. 
Sinonimologia: 01.  Autodeliberação. 02.  Autorresolução. 03.  Autodefinição. 04.  Au-
todecisão. 05.  Autafirmação. 06.  Autoposicionamento. 07.  Autexpressão. 08.  Autoprescrição.
09.  Autorreação. 10.  Autonomia; autossustentabilidade.  
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 40 cognatos derivados do vocábulo determina-
ção: antideterminação; autodeterminação; autodeterminismo; Autodeterminologia; determinabi-
lidade; determinada; determinado; determinador; determinadora; determinante; determinar; de-
terminativa; determinativo; determinável; determinismo; determinista; determinística; determi-
nístico; Determinologia; heterodeterminação;  indeterminabilidade; indeterminação; indetermi-
nada; indeterminado; indeterminador; indeterminadora; indeterminar; indeterminável; indeter-
minismo; indeterminista; indeterminística; indeterminístico; predeterminação; predeterminada;
predeterminado; predeterminante; predeterminar; sobredeterminação; sobredeterminada; sobre-
determinado. 
Neologia. As duas expressões compostas autodeterminação cosmoética  e autodetermi-
nação anticosmoética são neologismos técnicos da Autodeterminologia.
Antonimologia: 01.  Heterodeterminação. 02.  Autovacilação. 03.  Auto-hesitação. 04. 

AUTODESPRIORIZAÇÃO (AUTODISCERNIMENTOLOGIA)


AUTODESPRIORIZAÇÃO
(AUTODISCERNIMENTOLOGIA)

              I.  Conformática

Definologia. A autodespriorização é o ato ou efeito de a conscin vulgar não dar priori-
dade para o melhor ou o ideal, nas automanifestações pensênicas, travando o dinamismo da pró-
pria evolução consciencial e, conseqüentemente, o bem-estar pessoal.
Tematologia. Tema central nosográfico.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O prefixo des vem do idioma Latim, dis ou de ex, “negação; oposição; falta;
separação; divisão; afastamento; supressão”. O vocábulo priorização deriva também do idioma
Latim, prioritas, “que está mais avançado”. O termo prioridade surgiu em 1679.
Sinonimologia: 1.  Antipriorização pessoal. 2.  Despriorologia. 3.  Vida omissa deficitá-
ria. 4.  Megaproblema. 5.  Inobjetividade pessoal. 6.  Desviologia. 
Neologia. O vocábulo autodespriorização e as duas expressões compostas autodesprio-
rização mínima  e autodespriorização máxima  são neologismos técnicos da Autodiscernimento-
logia.
Antonimologia: 1.  Priorização pessoal. 2.  Priorologia. 3.  Vida dinâmica superavitária.
4.  Objetividade pessoal. 5.  Lisura.

AUTODESASSEDIALIDADE (AUTOCONSCIENCIOTERAPIA)



AUTODESASSEDIALIDADE 
(AUTOCONSCIENCIOTERAPIA)

I.  Conformática

Definologia. A autodesassedialidade  é o estado ou condição da conscin lúcida quanto 
à vivência teática da tática, estratégia e logística da autodefesa interconsciencial, intra e extra-
consciencial, intra e extrafísica, de modo multidimensional, da manutenção do equilíbrio pessoal,
íntimo, pleno, o tempo todo, descartando a interferência espúria, intrusiva, de exopensenes pato-
lógicos seja de quem for.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O prefixo des vem do idioma Latim, dis ou de ex, “oposição; negação; falta”.
O vocábulo  assédio  provém do idioma Italiano,  assedio,  e este do idioma Latim,  absedius  ou
obsidium, “cerco; cilada; assédio”. Apareceu, no idioma Italiano, no Século XIII. Surgiu, no idio-
ma Português, no Século XVI.
Sinonimologia: 1.  Autodesassédio consciencial. 2.  Autodesintrusão pensênica. 3.  Au-
todespossessibilidade. 4.  Autodesassediometria. 5.  Autodespossessiometria. 
Neologia. O vocábulo autodesassedialidade e as duas expressões compostas autodesas-
sedialidade primária  e  autodesassedialidade evoluída  são neologismos técnicos da Autocons-
ciencioterapia.
Antonimologia: 1.  Autassedialidade. 2.  Autopossessialidade. 3.  Autopossessiometria.

AUTODEPURAÇÃO REFINADA (INTRACONSCIENCIOLOGIA)


AUTODEPURAÇÃO   REFINADA
(INTRACONSCIENCIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autodepuração refinada é a vivência permanente da purificação teática
da autopensenização da conscin lúcida, personalidade formada capaz de compor, pelos próprios
recursos e potenciais, o parâmetro do código pessoal de Cosmoética (CPC) da conscin lúcida.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O vocábulo depuração vem do idioma Latim, depurare, “depurar”, de purus,
“puro, sem mancha ou mistura; depurado; purificado; límpido; branco; virtuoso; correto”. Surgiu
no Século XVIII. O prefixo re deriva também do idioma Latim, re, “retrocesso; retorno; recuo;
repetição; iteração; reforço; intensificação”. O termo fino provém do mesmo idioma Latim, finis,
“limite; extremo; fim”, passando também a designar “o que é bem-feito, bem-acabado; perfeito;
refinado; astuto; delicado; amável”. A palavra refinada apareceu no Século XVI. 
Sinonimologia: 01.  Autocatarse pensênica; autopurificação refinada. 02.  Autodepura-
ção sistemática. 03.  Autodepuração pensênica. 04.  Expurgação autopensênica. 05.  Refinamento
autopensênico. 06.  Apuramento autopensênico. 07.  Depuramento autopensênico. 08.  Clarifica-
ção autopensênica. 09.  Acendramento autopensênico. 10.  Autodepuração cosmoética; autopuri-
ficação cosmoética.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 10 cognatos derivados do vocábulo depuração;
autodepuração; heterodepuração; depurada; depurado; depurador; depuradora; depurante; de-
purar; depurativo; depuratório.  
Neologia: as 3 expressões compostas autodepuração refinada, autodepuração refinada
amadora  e  autodepuração refinada profissional  são neologismos técnicos da Intraconsciencio-
logia.
Antonimologia: 01.  Autopensenização anticosmoética. 02.  Autopensenização sinuosa. 
03.  Autopensenização patológica. 04.  Autopensenização nosográfica. 05.  Autopensenização
tosca. 06.  Grossura autopensênica. 07.  Impurificação autopensênica. 08.  Sinuosidade autopen-
sênica. 09.  Intencionalidade ultrapassada. 10.  Intencionalidade doentia.

AUTODEMISSÃO DE CONSCIEX (INTERASSISTENCIOLOGIA)


AUTODEMISSÃO   DE   CONSCIEX
(INTERASSISTENCIOLOGIA)

              I.  Conformática

Definologia. A autodemissão de consciex é o paraato ou paraefeito de o amparador (ou
amparadora) extrafísico, demitente, exonerar-se voluntariamente do encargo interassistencial 
o qual desempenhava até há pouco, junto à conscin tenepessista e / ou ofiexista, como conseqüên-
cia da dessoma desta, a fim de facilitar a composição das próximas articulações interassistenciais
pelo orientador evolutivo do grupocarma.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto provém do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo demissão vem do idioma Latim, demissio, “queda; rebaixamento; in-
terrupção”. Surgiu no Século XV. O vocábulo  consciência  procede também do idioma Latim,
conscientia, “conhecimento de alguma coisa comum a muitas pessoas; conhecimento; consciên-
cia; senso íntimo”, e este deriva do verbo conscire, “ter conhecimento de”. Apareceu no Século
XIII. O prefixo extra procede do mesmo idioma Latim, extra, “na parte de fora; além de”. A pala-
vra físico provém igualmente do idioma Latim, physicus, e esta do idioma Grego, physikós, “rela-
tivo à Natureza ou ao estudo da mesma”. Surgiu também no Século XIII.

AUTODECISÃO CRÍTICA (AUTODECIDOLOGIA )


AUTODECISÃO     CRÍTICA      
(AUTODECIDOLOGIA ) 

I.  Conformática

Definologia. A autodecisão crítica é a ação pessoal da conscin, predominantemente em
relação a si mesma, em nível de resolução definida e definitiva, sem hesitações nem retorno, de-
monstrando automaturidade, autocognição, autocritério e autodiscernimento máximos.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
por si próprio”. A palavra decisão provém do idioma Francês, décision, “ação de decidir; resulta-
do dessa ação”, e esta do idioma Latim, decisio, “decrescimento; diminuição; transação; acomo-
dação; ação de  resolver alguma questão debatida”, derivada de decidere, “cair; perecer; morrer;
decair; afastar-se; sucumbir; sair de”. Apareceu no Século XVI. O vocábulo crítica procede do
idioma Latim, critica, “apreciação; julgamento”, e este do idioma Grego, kritikê, “crítica; Arte de
julgar, de criticar”. Surgiu no Século XIX.
Sinonimologia: 1.   Autodecisão ponderada. 2.   Autodeterminação madura. 3.   Decisão-
-chave. 4.  Decisão difícil.
Neologia. As 3 expressões compostas autodecisão crítica, autodecisão crítica individual
e autodecisão crítica ideal são neologismos técnicos da Autodecidologia.
Antonimologia:  1.    Decisão  leviana.  2.    Autodeterminação  medíocre.  3.    Hesitação. 
4.  Indecisão. 5.  Irresolução. 6.  Vacilação.
Estrangeirismologia: o turning point; o strong profile; o alea jacta est.

AUTOCORREÇÃO (AUTOCOSMOETICOLOGIA)


AUTOCORREÇÃO
(AUTOCOSMOETICOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autocorreção é a condição, qualidade ou atributo da coerência própria da
incorruptibilidade (Autocoerenciologia) da conscin lúcida (Conscienciologia), embasada na auto-
crítica (Criticologia), na correção cosmoética (Cosmoeticologia), irrepreensível, dos próprios
erros e na verbação (Verbaciologia) pessoal, no universo do autodesenvolvimento (Evoluciologia)
da vida humana (Intrafisicologia).
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
por si próprio”. O vocábulo correção procede do idioma Latim, correctio, “correção; ação de re-
fazer ou retomar para pôr direito o que não está certo ou adequado; emenda; reforma; censura; re-
primenda; exprobação”. Surgiu no Século XIV. 
Sinonimologia: 01.  Autocorreção cosmoética. 02.   Autocorreção cognitiva; autocorre-
ção intelectual; autocorreção mnemônica. 03.  Autocorreção emocional; autocorreção pensênica.
04.  Autocorreção etológica; autocorreção social. 05.  Autocorreção crítica. 06.  Autocorreção téc-
nica. 07.  Autocorreção ininterrupta; autodesassedialidade permanente. 08.  Autocorreção evolu-
tiva. 09.  Emenda pessoal. 10.  Reciclagem intraconsciencial (recin); reforma íntima; retificação
pessoal.

AUTOCONVICÇÃO VIVENCIADA (AUTOCOGNICIOLOGIA)



AUTOCONVICÇÃO   VIVENCIADA
(AUTOCOGNICIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia.  A  autoconvicção vivenciada  é a certeza relativa e a opinião firme da
conscin lúcida quanto a determinada realidade cósmica, no momento evolutivo, a partir da experi-
ência pessoal autopersuasiva.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
por si próprio”. O termo convicção provém do idioma Latim, convictio, “ação de convencer; de-
monstração; ação de estar convencido”, de convincere, “fazer prevalecer; convencer”. Surgiu no
Século XVIII. O vocábulo vivência procede do mesmo idioma Latim, viventia, neutro plural de
vivens, e este particípio presente de vivere, “viver; ter vida; estar em vida; existir”. Apareceu no
Século XX.
Sinonimologia:  1.  Autoconvencimento vivenciado.  2.  Autocerteza autexperimental. 
3.    Autocognição pela vivência. 4.  Parecer pessoal por vivência.

AUTOCONVICÇÃO (AUTOCOGNICIOLOGIA)


AUTOCONVICÇÃO
(AUTOCOGNICIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autoconvicção  é a certeza relativa e a opinião firme da conscin lúcida
quanto a determinada realidade cósmica no momento evolutivo.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo convicção deriva do idioma Latim, convictio, “ação de convencer;
demonstração; ação de estar convencido”. Surgiu no Século XVIII. 
Sinonimologia: 01.  Autoconvencimento. 02.  Opinião a partir de autoprovas. 03.  Certe-
za autexperimental. 04.  Certeza relativa momentosa. 05.  Cognição por autovivência. 06.  Auto-
pesquisa. 07.  Autodemonstração;  autoteste. 08.  Autoconfirmação prática; autocorroboração. 
09.  Autorratificação; autovivência. 10.  Parecer pessoal.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 6 cognatos derivados do vocábulo  convicção:
anticonvicção; autoconvicção; convicta; convicto; inconvicto; interconvicção.
Neologia. As duas expressões compostas autoconvicção teórica e autoconvicção teática
são neologismos técnicos da Autocogniciologia.
Antonimologia: 01.  Dúvida pessoal; hesitação; pé-atrás; prevenção. 02.  Incerteza pes-
soal. 03.  Desconfiança. 04.  Difidência. 05.  Descrédito; descrença; estranheza. 06.  Incredibilida-
de; incredulidade. 07.  Ceticismo; cisma. 08.  Suspeição; suspeita; suspicácia. 09.  Interdescon-
fiança; perplexidade. 10.  Insegurança; má fama; pirronice; receança.
Estrangeirismologia: as performances pessoais, evolutivas, cosmoéticas; o upgrade das
autocomprovações; o Autopesquisarium; o onus probandi.
Atributologia: predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento

AUTOCONSTATAÇÃO (AUTEXPERIMENTOLOGIA)


AUTOCONSTATAÇÃO
(AUTEXPERIMENTOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autoconstatação é o ato autexperimentológico, pesquisístico, teático e di-
reto da consciência lúcida, em qualquer dimensão existencial, constituindo o princípio embasador
inicial do corpus cognitivo da Conscienciologia.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. A palavra constatação deriva do idioma Francês, constatation, “comprova-
ção; verificação”. Surgiu no Século XX. 
Sinonimologia: 1.  Autexperimentação direta. 2.  Autopesquisa vivenciada. 3.  Aborda-
gem pesquisística pessoal.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 7 cognatos derivados do vocábulo constatação:
autoconstatação; constatada; constatado; constatar; constatável; constatativo; heteroconsta-
tação. 
Neologia. As duas expressões compostas  autoconstatação material  e  autoconstatação
multidimensional são neologismos técnicos da Autexperimentologia.
Antonimologia: 1.  Heteroconstatação. 2.  Abordagem pesquisística alheia.
Estrangeirismologia: o rapport com o objeto novo; o approach técnico inicial; a sonda-

AUTOCONSCIEXIABILIDADE RETROCOGNITIVA (INTRAFISICOLOGIA)



AUTOCONSCIEXIABILIDADE   RETROCOGNITIVA
(INTRAFISICOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autoconsciexiabilidade retrocognitiva é a condição paradoxal da euforin
mais avançada da conscin lúcida se sentir, na vigília física ordinária, como vivia, antes da resso-
ma, em comunex de holopensene cosmoético harmônico.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu
mesmo; por si próprio”. O vocábulo consciência procede do idioma Latim, conscientia, “conheci-
mento de alguma coisa comum a muitas pessoas; conhecimento; consciência; senso íntimo”, e es-
te do verbo conscire, “ter conhecimento de”. Apareceu no Século XIII. O prefixo extra provém
do mesmo idioma Latim, extra, “na parte de fora; além de”. A palavra físico deriva igualmente do
idioma Latim, physicus, e este do idioma Grego, physikós, “relativo à Natureza ou ao estudo da
mesma”. Surgiu também no Século XIII. O segundo elemento de composição retro vem do mes-
mo idioma Latim, retro, “por detrás; atrás”. Apareceu no Século XV. O termo cognição procede
igualmente do idioma Latim,  cognitio,  radical de  cognitum, de  cognoscere,  “conhecer”. Surgiu
em 1836. O vocábulo retrocognição apareceu em 1901. 
Sinonimologia: 01.  Autoconsciexiabilidade eufórica. 02.  Autoconsciexiabilidade intra-
física. 03.  Euforin máxima. 04.  Euforin revitalizadora. 05.  Autorretrocognição vivida. 06.  Revi-
vescência intelectiva. 07.  Evocação da autoparaprocedência; minirretrospectiva feliz. 08.  Extra-
polacionismo eufórico. 09.  Emersão intermissiva feliz; refluxo mnemônico sadio. 10.   Back-
ground intermissivo revivido.   
Neologia. As 3 expressões compostas autoconsciexiabilidade retrocognitiva, autocons-
ciexiabilidade retrocognitiva elementar  e  autoconsciexiabilidade retrocognitiva superior  são
neologismos técnicos da Intrafisicologia.
Antonimologia: 01.  Autoconsciencialidade. 02.  Cosmoconsciencialidade. 03.  Euforin
mínima. 04.  Euforex. 05.  Consciexialidade da consciex lúcida. 06.  Antissemiconsciexiabilidade.
07.  Melin. 08.  Encolhimento consciencial. 09.  Depressão. 10.  Antieuforin. 
Estrangeirismologia:  a  happy hour  surpreendente; o  flashback  intermissivo eutímico; 
o revival da eudemonia vivenciada na paraprocedência pessoal.
Atributologia: predomínio das percepções extrassensoriais, notadamente do autodiscer-
nimento quanto às autorretrocognições.

II.  Fatuística

AUTOCONSCIENCIALIDADE ASCENDENTE (AUTODISCERNIMENTOLOGIA)



AUTOCONSCIENCIALIDADE   ASCENDENTE 
(AUTODISCERNIMENTOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia.  A  autoconsciencialidade ascendente  é a condição intraconsciencial da
conscin lúcida na qual predomina o discernimento sobre as manifestações essenciais da consciên-
cia, com a instalação do governo da assertividade do raciocínio e da lógica nas manifestações or-
topensênicas.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo consciência vem do idioma Latim, conscientia, “conhecimento de
alguma coisa comum a muitas pessoas; conhecimento; consciência; senso íntimo”, e este do ver-
bo conscire, “ter conhecimento de”. Apareceu no Século XIII. A palavra ascendente deriva tam-
bém do idioma Latim, ascendens, de ascendere, “subir; montar; escalar”. Surgiu no Século XIV.
Sinonimologia: 01.  Autoconsciencialidade dinâmica; autoconscienciosidade ascenden-
te. 02.  Autolucidez maior. 03.  Predomínio da mentalsomaticidade consciencial. 04.  Predomínio
do autodiscernimento. 05.  Apreensibilidade avançada. 06.  Hiperacuidade autoconsciencial. 
07.  Hiperautoconsciencialidade. 08.  Apreensibilidade superior. 09.  Base da Serenologia. 10.  In-
teligência evolutiva (IE). 
Neologia. As 3 expressões compostas autoconsciencialidade ascendente, autoconscien-
cialidade ascendente primária  e  autoconsciencialidade ascendente evoluída  são neologismos

AUTOCOMPROMISSO MULTIDIMENSIONAL (MULTIDIMENSIONOLOGIA)


AUTOCOMPROMISSO   MULTIDIMENSIONAL 
(MULTIDIMENSIONOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O autocompromisso multidimensional é a obrigação, combinação, ajuste ou
acordo solene assumido pela consciência, quando ainda consciex na fase intermissiva pré-resso-
mática, a ser cumprido quando ressomada ou na condição atual de conscin lúcida.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto provém do idioma Grego, autós,
“eu mesmo; por si próprio”. O termo  compromisso  vem do idioma Latim,  compromissum,  de
compromittere,  “comprometer”. Apareceu no Século XIV. O segundo elemento de composição
multi  procede também do idioma Latim,  multus,  “muito; numeroso; em grande quantidade”. 
O vocábulo dimensão deriva do mesmo idioma Latim, dimensio, “dimensão; medida”. Surgiu no
Século XVI. O termo dimensional apareceu no Século XIX. 
Sinonimologia:  01.  Autocompromisso interdimensional. 02.  Autocomprometimento
multidimensional. 03.  Autocompromisso paraformal. 04.  Autempenho multidimensional. 
05.  Autocompromisso extrafísico. 06.  Autocompromisso intermissivo. 07.  Autocompromisso
pré-ressomático. 08. Autocompromisso retrocognitivo. 09.  Autocompromisso proexológico. 10. 
Autocomprometimento interdimensional.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 16 cognatos derivados do vocábulo compromis-

Sanpaku - O que é?

Sanpaku

Sanpaku gan (三白眼) ou Sanpaku (三白) é um japonês termo que significa "três brancos" e é geralmente referida em Inglês como "olhos Sanpaku". The term refers to the iris being rather small, so that it can only cover about two-thirds or less of the vertical of the eye; imagining an eye as divided into four portions, the iris only 'colours' one portion, thus leaving the other three in white, hence "three whites". O termo refere-se à íris de dimensão bastante reduzida, de modo que ela só pode abranger cerca de dois terços ou menos do vertical do olho, imaginando um olho como dividido em quatro parcelas, a íris só "cores" uma porção, deixando assim o outros três em branco, portanto, "três brancos."

Mitos e reivindicações

When the bottom part of the white part of the eye known as the sclera is visible it is referred to as 'Yin Sanpaku' by the Chinese. Quando a parte inferior da parte branca do olho conhecida como a esclera é visível é referido como "Yin Sanpaku" pelos chineses. According to the myth, it represents physical imbalance in the body, and is claimed to be present in alcoholics, drug addicts and people who over consume sugar or grain. Segundo o mito, que representa desequilíbrio físico no corpo, e é reivindicada para estar presente em alcoólicos, toxicodependentes e pessoas que mais consomem açúcar ou grãos. Conversely when the upper sclera is visible this is called 'Yang Sanpaku'. Inversamente, quando a parte superior da esclera é visível isso é chamado de "Yang Sanpaku. This is said to be an indication of mental imbalance in people such as psychotics, murderers and anyone rageful. Isto é dito ser um indício de desequilíbrio mental das pessoas, como os psicóticos, assassinos e toda a gente raivosa. Stress and fatigue may also be a cause. Stress e fadiga também pode ser uma causa. 
In August 1963, macrobiotic pioneer George Ohsawa predicted that President John F. Kennedy would experience great danger because of his sanpaku condition. Em agosto de 1963, macrobiótica pioneiro George Ohsawa previu que o presidente John F. Kennedy iria experimentar um grande perigo por causa de sua condição sanpaku. This was reported by Tom Wolfe in the New York Herald Tribune . Isso foi relatado por Tom Wolfe no New York Herald Tribune
People with sanpaku eyes may also be feared to be prone to violent or disordered behaviors. [ citation needed ] There is no evidence for this belief, however. Pessoas com olhos sanpaku também pode ser medo de ser propenso a comportamentos violentos ou desordenada.  Não há nenhuma evidência para essa crença, no entanto.
John Lennon mentioned sanpaku in his song "Aisumasen (I'm Sorry)" from the 1973 Mind Games album. John Lennon sanpaku mencionado em sua canção "Aisumasen (I'm Sorry)" a partir de 1973 Mind Games álbum. It is also briefly referenced in William Gibson's Neuromancer , as well as in Michael Franks ' 1979 song "Sanpaku", and in The Firesign Theatre 's piece "Temporarily Humboldt County". É também uma breve referência em William Gibson Neuromancer , assim como em Michael Franks "1979 canção" Sanpaku ", e em O Teatro Firesign 'pedaço s "Temporariamente Humboldt County".

 

AUTOCOGNIÇÃO GRATIFICANTE (AUTOCOGNICIOLOGIA)


AUTOCOGNIÇÃO   GRATIFICANTE
(AUTOCOGNICIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autocognição gratificante é  a vivência compensadora de bem-estar e sa-
tisfação advinda do ato de ensinar, informar ou esclarecer os compassageiros evolutivos, crianças,
adultos, homens, mulheres e consciexes, por meio das tarefas do esclarecimento (tares) exemplifi-
cativas.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
si mesmo”. A palavra cognição deriva do idioma Latim, cognitio, “ação de conhecer”, radical de
cognitum e supino de cognoscere, “conhecer; adquirir conhecimento; aprender a conhecer; pro-
curar saber; tomar conhecimento de; reconhecer”. Apareceu em 1836. O termo gratificante proce-
de do mesmo idioma Latim, gratificans, de gratificare, “ser agradável a alguém; favorecer; obse-
quiar; gratificar; servir”. Surgiu no Século XX. 
Sinonimologia:  1.  Autoconhecimento gratificante. 2.  Pedagogia gratificante. 3.  Re-
compensa do ensino. 4.  Retorno do ensino.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 7 cognatos derivados do vocábulo gratificação:
gratífica; gratificada; gratificado; gratificador; gratificadora; gratificar; gratífico.  
Neologia. As 4 expressões compostas autocognição gratificante, autocognição gratifi-
cante mínima, autocognição gratificante mediana e autocognição gratificante máxima são neolo-

AUTOCHECAGEM INDISPENSÁVEL (AUTEXPERIMENTOLOGIA)



AUTOCHECAGEM    INDISPENSÁVEL 
(AUTEXPERIMENTOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autochecagem indispensável é a postura evolutivamente mais inteligente
aplicável a toda abordagem, pesquisa, técnica, análise, empreendimento, obra ou redação da cons-
cin lúcida, a fim de acertar mais, errar menos e evitar omissões deficitárias.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O termo checar é adaptação do idioma Inglês, to check, “colocar em xeque
(no jogo de xadrez); conferir; comparar; examinar; inspecionar; fiscalizar; provar ser consistente
ou verdadeiro”. As palavras  checar  e  checagem  surgiram no Século XX. O prefixo  in  vem do
idioma Latim,  in, “negação; privação”. O vocábulo dispensar provém do mesmo idioma Latim,
dispensare,  “repartir (dinheiro); administrar; regular; economizar; distribuir; dividir”. Apareceu
no Século XIV. O sufixo vel deriva igualmente do idioma Latim, bilis, “passível de; mais rara-
mente; agente de”. O termo indispensável surgiu no Século XVII. 
Sinonimologia:  01.  Autochecagem imprescindível.  02.  Autochecagem permanente. 
03.  Autochecagem contínua. 04.  Autochecagem ininterrupta. 05.  Autochecagem universal. 
06.  Autochecagem ideativa. 07.  Autoteste inexcluível. 08.  Autocrítica inafastável; autocrítica
ininterrupta. 09.  Autexame permanente. 10.  Autodesafio inarredável.      
Neologia. As 4 expressões compostas autochecagem indispensável, autochecagem indis-
pensável inversiva, autochecagem indispensável tenepessista e autochecagem indispensável des-
perta são neologismos técnicos da Autexperimentologia.
Antonimologia: 01.  Autodesorganização. 02.  Autoindisciplina. 03.  Autodisplicência. 

AUTOBAGAGEM HOLOBIOGRÁFICA (HOLOBIOGRAFOLOGIA)


AUTOBAGAGEM   HOLOBIOGRÁFICA
(HOLOBIOGRAFOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A  autobagagem holobiográfica  é o acúmulo das experiências evolutivas
positivas da conscin no transcurso dos milênios de vida em vida humana até hoje.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu
mesmo; por si próprio”. O termo bagagem deriva do idioma Francês, bagage, “bagagem”. Surgiu
no Século XVI. O segundo elemento de composição holo provém do idioma Grego, hólos, “total;
completo; inteiro”. O vocábulo biografia procede do mesmo idioma Grego, biographía, “relato
de vidas”, constituído pelos elementos de composição  bíos,  “vida”, e  graphé,  “escrita; escrito;
convenção; documento; descrição”. As palavras  biografia  e  biográfico  apareceram no Século
XIX.  
Sinonimologia: 1.  Autobagagem paragenética. 2.  Acumulação autobiográfica. 3.  Poli-
biografia pessoal. 4.  Patrimônio consciencial.
Neologia. As 3 expressões compostas autobagagem holobiográfica, autobagagem holo-
biográfica sadia e autobagagem holobiográfica doentia são neologismos técnicos da Holobiogra-
fologia.
Antonimologia: 1.  Autobagagem desta vida. 2.  Monobiografia pessoal.
Estrangeirismologia:  os  consciential skills;  a  personal proficiency;  o  evolutionary

AUTESFORÇO CONVERGENTE (AUTODISCERNIMENTOLOGIA)



AUTESFORÇO   CONVERGENTE
(AUTODISCERNIMENTOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O autesforço convergente é a intensificação das forças e das atividades físi-
cas, intelectuais e morais, conjugadas no desenvolvimento da execução eficaz da programação
existencial (autoproéxis), por parte da consciência intrafísica, conscin lúcida, intermissivista,
quando empenhada na própria evolução.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
si mesmo”. O prefixo es deriva do idioma Latim, ex, “movimento para fora”. O vocábulo  força
provém do idioma Latim Tardio, fortia, “força”. Apareceu no Século XIII. A palavra esforço sur-
giu também no Século XIII. O termo convergir procede do idioma Latim, convergere, “juntar-se
de várias partes; chegar ao mesmo ponto; convergir para 1 ponto”. Os vocábulos convergir e con-
vergência apareceram no Século XIX. 
Sinonimologia: 01.  Esforço pessoal convergente. 02.  Autesforço confluente. 03.  Es-
forço pessoal confluente. 04.  Autesforço conjugado. 05.  Autesforço sinérgico. 06.  Autesforço
conjugado. 07.  Autempenho convergente. 08.  Autempenho confluente. 09.  Autesforço prioritá-
rio. 10.  Autesforço ideal; autesforço interativo.    
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 7 cognatos derivados do vocábulo esforço: au-
tesforço; esforçada; esforçado; esforçar; esforçoso; megaesforço; miniesforço. 

AUTAVALIAÇÃO SINTÉTICA (AUTOCONSCIENCIOGRAMOLOGIA)


AUTAVALIAÇÃO   SINTÉTICA
(AUTOCONSCIENCIOGRAMOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. A autavaliação sintética é o levantamento da condição consciencial, evolu-
tiva, pessoal, simples, resumida, adequada e indicada para a conscin, homem ou mulher, ao depa-
rar, pela primeira vez, com a abordagem conscienciológica da própria inteligência evolutiva (IE),
e quando interessada em confirmar a possível autocondição de intermissivista pré-ressomática. 
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O elemento de composição auto procede do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O prefixo a provém igualmente do idioma Grego, a, “negação; privação”. 
A palavra valor vem do idioma Latim, valere, “ser forte; valente; vigoroso; ter força; ter crédito;
exceder; levar vantagem; ter bom resultado; ser eficaz; valer (com respeito ao dinheiro); ter signi-
ficação”. Apareceu no Século XII. O vocábulo avaliar surgiu no Século XIV. O termo avaliação
apareceu no Século XVI. A palavra  sintético  deriva do idioma Grego,  sunthétikós,  “apto para
compor; para dispor”, provavelmente por influência do idioma Francês,  synthétique,  “relativo 
a síntese”. Surgiu no Século XVIII. 
Sinonimologia: 1.  Autolevantamento evolutivo sintético. 2.  Autopesquisa consciencial
sintética.  

AUTANIQUILAMENTO DO PESQUISADOR (PARAPATOLOGIA)



AUTANIQUILAMENTO   DO   PESQUISADOR    
(PARAPATOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O  autaniquilamento do pesquisador, observador ou investigador, homem
ou mulher, é a reação pessoal, patológica, sindrômica, do profitente da dogmática da Ciência
Convencional, ou Eletronótica, ainda em pleno Século XXI, a qual busca abordar racionalmente
as realidades físicas do Cosmos, mas elide amauroticamente a própria existência da consciência
humana do trabalhador técnico, a partir de posturas rígidas da irracionalidade da pesquisa não
participativa e da norma corruptora do publicar ou morrer.
Tematologia. Tema central nosográfico.
Etimologia. O elemento de composição auto deriva do idioma Grego, autós, “eu mes-
mo; por si próprio”. O vocábulo aniquilar vem do idioma Latim Tardio, annihilare, “reduzir a na-
da; destruir inteiramente; aniquilar”, e este do idioma Latim, nihil, “nada; coisa nenhuma”. Surgiu
no Século XIV. A palavra aniquilamento apareceu no Século XV. O termo pesquisa procede do
idioma Espanhol, pesquisa, derivado do idioma Latim, pesquisita, de pesquisitus, e este de per-

AUTABRANGÊNCIA (MULTIDIMENSIONOLOGIA)


AUTABRANGÊNCIA
(MULTIDIMENSIONOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. A  autabrangência  é a realidade, pararrealidade, fato, parafato, fenômeno
ou parafenômeno de todas as naturezas manifestos ou atuantes a partir da irradiação e extensão
totais do espectro do holopensene específico gerado pela consciência, em si e por si, no âmbito do
Cosmos.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu mesmo;
por si próprio”. O vocábulo abrangência é de origem obscura. Surgiu em 1981. 
Sinonimologia:  01.  Autabarcamento. 02.  Autestadeamento; autoposicionamento cós-
mico. 03.  Autalcance consciencial. 04.  Automanifestação centrífuga. 05.  Autoirradiação cons-
ciencial. 06.  Autopsicosfera holopensênica homeostática. 07.  Espectro consciencial. 08.  Exten-
são autoconsciencial. 09.   Esfera de ação consciencial; horizonte autexpressional. 10.  Autoin-
fluência intracósmica; poder irradiador pessoal.  
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 11 cognatos derivados do vocábulo abrangên-
cia: abrangedor; abrangedora; abrangente; abranger; abrangida; abrangido; abrangidura;
abrangimento; abrangível; autabrangência; heterabrangência. 
Neologia. As duas expressões compostas  autabrangência intrafísica  e  autabrangência
multidimensional são neologismos técnicos da Multidimensionologia.
Antonimologia: 1.  Automanifestação centrípeta. 2.  Abarcamento grupal. 3.  Holopen-

AUTABERTISMO NEOPENSÊNICO (NEOPENSENOLOGIA)


AUTABERTISMO   NEOPENSÊNICO
(NEOPENSENOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O autabertismo neopensênico é o ato, efeito ou condição avançada da cons-
cin neofílica inteiramente predisposta e aberta, com sinceridade, o tempo todo, às pesquisas e re-
ciclagens evolutivas, com alta capacidade de apreensão de neoideias.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O primeiro elemento de composição auto vem do idioma Grego, autós, “eu
mesmo; por si próprio”. O vocábulo aberto provém do idioma Latim, apertus, “aberto; descober-
to; nu; que não tem defesa; manifesto; claro; franco”, particípio passado do verbo aperire, “abrir;
furar; escavar; expôr; explicar; oferecer; dissipar”. Surgiu no Século XIII. O sufixo  ismo deriva
do idioma Grego, ismós, “doutrina; escola; teoria ou princípio artístico, filosófico, político ou reli-
gioso; ato, prática ou resultado de; peculiaridade de; ação; conduta; hábito ou qualidade caracte-
rística de; quadro mórbido; condição patológica”. O segundo elemento de composição neo proce-
de também do idioma Grego,  néos,  “novo”. Apareceu, na Linguagem Científica Internacional, 
a partir do Século XIX. O termo pensamento vem do idioma Latim, pensare,  “pensar; cogitar;
formar alguma ideia; pesar; examinar; considerar; meditar”. Surgiu no Século XIII. A palavra
sentimento provém do mesmo idioma Latim, sentimentum, através do idioma Francês, sentiment,
“sentimento; faculdade de receber as impressões físicas; sensação; conhecimento; fato de saber
qualquer coisa; todo fenômeno da vida afetiva; emoção; opinião; bom senso”. Apareceu no Sé-
culo XIV. O vocábulo  energia procede do idioma Francês, énergie, derivado do idioma Latim,
energia, e este do idioma Grego, enérgeia, “força em ação”. Surgiu no Século XVI. 
Sinonimologia: 1.  Abertismo autopensênico. 2.  Abertura neopensênica. 3.  Abrimento
neopensênico. 4.  Xenofilia autopensênica. 5.  Desobstrução mentalsomática.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 14 cognatos derivados do vocábulo abertura:
aberta; abertal; abertão; abertiço; abertismo; aberto; abertona; aberturista; autabertismo;
autabertura; megabertismo; megabertura; miniabertismo; miniabertura. 

AUSCHWITZ (MEGAPARAPATOLOGIA)


AUSCHWITZ    
(MEGAPARAPATOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. A  Auschwitz  foi a cidade escolhida pelos alemães nazistas para instalar 
e fazer funcionar tecnicamente o maior campo de extermínio de pessoas, durante a  Segunda
Guerra Mundial (1939–1945), realidade patológica inconcebível anteriormente em toda a Histó-
ria da Humanidade. 
Tematologia. Tema central nosográfico.
Etimologia. O termo Auschwitz é a tradução para o idioma Alemão do nome da cidade
Oswiecim, no Sul da Polônia, em cujas proximidades foi construído o megacampo de concentra-
ção de prisioneiros com o mesmo nome, durante a Segunda Guerra Mundial. 
Sinonimologia: 1.  Oswiecim. 2.  Megacampo de extermínio. 3.  Megacampo de holo-
causto. 4.  KZ. 5.  Matadouro humano. 6.  Embaixada da Baratrosfera. 7.  Megaaberração da His-
tória Humana.
Neologia. As duas expressões compostas Auschwitz superestigmatizadora  e Auschwitz
incompreendida são neologismos técnicos da Megaparapatologia. 
Antonimologia: 1.  Am Waldsee. 2.  Cidade de veraneio. 3.  Oásis existencial. 4.  Jardim
de rosas. 5.  Bairro da Cognópolis.
Estrangeirismologia: o Obersturmführer; o Oberschaarführer.
Atributologia: predomínio das faculdades mentais, notadamente do autodiscernimento

AURA INTIMIDANTE (PRESENCIOLOGIA)



AURA    INTIMIDANTE    
(PRESENCIOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. A aura intimidante é o ambiente exterior ao estado da consciência, conscin
ou consciex, provocador de apreensão, receio, temor, constrangimento ou inibição nas consciên-
cias interlocutoras. 
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O termo aura vem do idioma Latim, aura, “vento brando; brisa; o ar; sopro;
hálito; brilho; fulgor; fôlego; alma; vida”, adaptado do idioma Grego, aúra, “brisa que vem de de-
terminado curso de água ou do mar; ar fresco da manhã”, e por extensão, “vento em geral; sopro;
odor”. Surgiu no Século XVI. O vocábulo intimidar deriva do idioma Latim Medieval, intimida-
re, “intimidar”. Apareceu no Século XVII. 
Sinonimologia:  1.  Energosfera intimidante. 2.  Força presencial intimidante. 3.  Pre-
sença intimidadora; presença intimidante. 4.  Aura vigorosa. 5.  Aura impopular.  
Neologia. As 3 expressões compostas aura intimidante, aura intimidante feminina e au-
ra intimidante masculina são neologismos técnicos da Presenciologia.
Antonimologia: 1.  Aura inofensiva. 2.  Aura tímida. 3.  Energosfera fraca. 4.  Força
presencial débil. 5.  Aura melancólica. 6.  Presença leve. 7.  Aura de interconfiança. 8.  Aura aco-
lhedora.
Estrangeirismologia: o Conviviarium; o strong profile pessoal; o boxeur; as walkyries; 

ATRATOR (EVOLUCIOLOGIA)



ATRATOR
(EVOLUCIOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O atrator é a realidade – conscin, consciex, coisa, holopensene, fato, para-
fato, fenômeno, parafenômeno – com poder de atração ou de puxar para si, despertando interesse
autoconsciente, inconsciente, instintivo ou magnético.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O termo atrator vem do idioma Latim, attractus, de attrahere, “trazer; pu-
xar para si; atrair; contrair; enrugar”. Apareceu no Século XIX.  
Sinonimologia:  01.  Atrativo; polarizador. 02.  Catalisador; chamarisco; chamariz. 
03.  Arrebatador; encantador; excitante; incitador. 04.  Ímã; magneto. 05.  Vinculador. 06.  Cati-
vador; conquistador; sedutor. 07.  Aliciador; apelador; recrutador. 08.  Fascinador; tentador. 
09.  Simpático. 10.  Carisma; charme.
Cognatologia. Eis, na ordem alfabética, 13 cognatos (neologismos técnicos) derivados
do vocábulo atrator: atratora; atrator-doador; atrator-vampiro; biatrator; bioatrator; fato-atra-
tor; idéia-atratora; megaatrator; megaatratora; objeto-atrator; parafato-atrator; sentimento-
-atrator; uniatrator.  

70 atitudes que atrasam a Evolução

01.  Amizade ociosa.
02.  Amor platônico.
03.  Antileitura.
04.  Autocorrupção.
05.  Autodesorganização.
06.  Bagulho energético.
07.  Barbear-se diariamente.
08.  Beatices.
09.  Boxe: a antissomaticidade.
10.  Bronzeamento artificial.
11.  Burocracia.
12.  Cola: em prova escolar.
13.  Comer com pauzinhos.
14.  Compra de caixão: de pessoa viva, o ideal é a cremação.
15.  Consumismo paroxístico.
16.  Crendices.
17.  Desânimo: desmotivação.
18.  Desatenção aos detalhes.
19.  Dormir demais.
20.  Escrever à lápis.
21.  Escrever na areia.
22.  Evocação espúria.
23.  Faca sem corte.
24.  Fã-clube.
25.  Filme de terror.
26.  Guerra.
27.  Horóscopo: a Astrologia.
28.  Idolatria.
29.  Impontualidade.
30.  Instrumento inadequado.
31.  Interiorose.
32.  Jogatina: a ludopatia.
33.  Literatice: os ficcionismos em geral.
34.  Manter propriedade sem aguada.
35.  Máquina de escrever.
36.  Materialismo.
37.  Mau hábito.
38.  Modismo.
39.  Morar em área industrial.
40.  Não estocar: os artigos de primeira necessidade.
41.  Não fazer seguros.
42.  Neofobia.
43.  Nostalgia.
44.  Novela televisiva.
45.  Pagamento de promessa.
46.  Paliativo.
47.  Patuá.
48.  Perfeccionismo.
49.  Piercings.
50.  Placebo.
51.  Prato abaulado: o talher não equilibra.
52.  Preconceito.
53.  Procrastinação.
54.  Pseudônimo.
55.  Repetição de erros.
56.  Sapatos com saltos barulhentos.
57.  Seita: religião.
58.  Ser miserê.
59.  Ser monoglota.
60.  Sujismundismo.
61.  Superstição.
62.  Tabus: as tolices.
63.  Tatuagem.
64.  Tóxico: drogas; chimarrão; incenso.
65.  Truculência: a pena de morte.
66.  Usar chuveiro à gás.
67.  Usar máquina obsoleta.
68.  Usar sapatos com cadarços.
69.  Vassoura piaçava.
70.  Viver sem viajar.


ATRASO DE VIDA (ETOLOGIA)


ATRASO   DE   VIDA
(ETOLOGIA)

I.  Conformática

Definologia. O  atraso de vida  é aquele fato, postura, ato, erro, omissão ou distorção
capaz de travar a evolução da conscin intermissivista e a execução da autoproéxis.
Tematologia. Tema central nosográfico.
Etimologia. A proposição a vem do idioma Latim, ad. O vocábulo  trás procede igual-
mente do idioma Latim,  trans, “além; para lá de”. A palavra atraso apareceu no Século XVIII. 
O termo vida deriva também do idioma Latim, vita, “vida; vida humana”. Surgiu em 947.
Sinonimologia: 1.  Atrasamento de vida. 2.  Retardamento de vida. 3.  Atrapalhação de
vida. 4.  Fator atrasador. 5.  Fator regressivo.
Neologia. As 3 expressões compostas atraso de vida mínimo, atraso de vida mediano 
e atraso de vida máximo são neologismos técnicos da Etologia.
Antonimologia:  1.  Adiantamento de vida. 2.  Estímulo de vida. 3.  Fator evolutivo. 
4.  Fator progressista. 

ATOR DE TEATRÃO (ELENCOLOGIA )


ATOR   DE    TEATRÃO
(ELENCOLOGIA )

I.  Conformática

Definologia. O ator de teatrão  é aquela conscin, homem ou mulher (atriz de teatrão),
sempre desempenhando papéis sociais ou desenvolvendo ações contrárias ao processo evolutivo,
não raro anticosmoéticas, regressivas, em condições não exemplares.
Tematologia. Tema central nosográfico.
Etimologia. O vocábulo  ator  vem do idioma Latim,  actor,  “aquele que representa no
teatro; quem representa determinado papel que não lhe pertence; orador; o que executa, faz mo-
ver, dirige”. Surgiu no Século XVI. O termo  teatro deriva também do idioma Latim,  theatrum,
“teatro; lugar para jogos públicos; reunião de espectadores ou ouvintes; ajuntamentos; assem-
bleia; auditório”, e este do idioma Grego, théatron, “lugar onde se assiste a espetáculo; espectado-
res; o próprio espetáculo”, constituído por  théa,  “espetáculo; vista; visão”, e pelo sufixo  tron,
“instrumento; máquina de espetáculo”. Apareceu no Século XV.  
Sinonimologia: 1.  Atriz de teatrão. 2.  Ator humano canastrão.

ATO SOCIAL (SOCIOLOGIA)


ATO     SOCIAL 
(SOCIOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. O ato social é a ação pública ou manifestação explícita de sociabilidade da
personalidade humana.
Tematologia. Tema central neutro.
Etimologia. O termo ato vem do idioma Latim, actus, “movimento; impulso; andamen-
to; ação do orador e do ator; ato de peça teatral; direito de passagem sobre propriedade de outro;
medida agrária; ato; ação; feito”. Apareceu no Século XV. O vocábulo social procede do mesmo
idioma Latim, socialis, relativo aos aliados; de aliado; feito para sociedade; social; sociável; nup-
cial; conjugal”. Surgiu no Século XVI. 
Sinonimologia: 1.  Ato público. 2.  Ação explícita.
Neologia. As 3 expressões compostas ato social regressivo, ato social improdutivo e ato
social enriquecedor são neologismos técnicos da Sociologia.
Antonimologia: 1.  Ação familiar. 2.  Ato doméstico.

ATO DETERMINATIVO (AUTODECIDOLOGIA)


ATO    DETERMINATIVO      
(AUTODECIDOLOGIA) 

I.  Conformática

Definologia. O ato determinativo é a ação pessoal da conscin consigo, exclusivamente
para si mesma, em nível de resolução definida e definitiva, sem hesitações nem retorno, demons-
trando automaturidade, autocognição, autocritério e autodiscernimento máximos.
Tematologia. Tema central homeostático.
Etimologia. O termo ato vem do idioma Latim, actus, “movimento; impulso; andamen-
to; ação do orador e do ator; ato de alguma peça teatral; direito de passagem sobre a propriedade
de outro; medida agrária; ato; feito”. Apareceu no Século XIV. O vocábulo determinativo é pro-
vavelmente  adaptação do  idioma Francês, determinatif,  “determinante;  crítico”, derivado possi-
velmente do idioma Latim Medieval, determinativus, e este de determinare, “determinar; deman-
dar; limitar; fixar; regular”. Surgiu no Século XVI.
Sinonimologia: 1.  Ato autodeterminativo. 2.  Ato resoluto. 3.  Ato decidido. 4.  Ato de-
liberativo. 5.  Ato refletido. 6.  Ação determinadora. 7.  Marca autobiográfica. 
Neologia. As 3  expressões compostas ato determinativo, ato determinativo antecipado